Notícias

Governo de SP deixa de exigir assinatura de termo para quem tomou 1ª dose de AstraZeneca e 2ª da Pfizer

Na manhã desta terça-feira (14), a Secretaria Estadual da Saúde divulgou nova orientação técnica informando que a assinatura do termo passa a ser facultativa

Lucas Jozino, da Rádio Bandeirantes 14/09/2021 • 08:38 - Atualizado em 14/09/2021 • 10:50

A governo de São Paulo mudou de ideia e deixa de exigir a assinatura de um termo de ciência para quem tomou a 1ª dose da AstraZeneca receber a 2ª da Pfizer. O documento estava sendo entregue em todo o Estado, e era necessário indicar nome e CPF.

Na manhã desta terça-feira (14), a Secretaria Estadual da Saúde divulgou nova orientação técnica informando que a assinatura do termo passa a ser facultativa.

 

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo anunciou na última sexta-feira (10) o início da aplicação nesta semana para quem estiver com a 2ª dose da vacina AstraZeneca atrasada. O motivo é a falta do imunizante da fabricante no estado.

Serão vacinados os que estiverem com a segunda dose vencida entre 1º e 15 de setembro. Neste último fim de semana, 400 mil doses que chegaram nos últimos foram entregues aos municípios e remanejadas para aplicação da segunda dose. Vacinas da Pfizer em estoque também já poderão ser aplicadas.

  • vacina
  • vacinação
  • Covid-19
  • pandemia
  • São Paulo