Notícias

Guerra com traficantes deixa rastro de mortes na fronteira brasileira

Da Redação, com Jornal da Band 13/01/2021 • 19:34 - Atualizado em 13/01/2021 • 19:41

A guerra do tráfico na fronteira do Brasil com o Paraguai segue com muita violência. Na manhã desta quarta-feira (13), um agente paraguaio foi fuzilado. Na última terça-feira (12), investigadores haviam encontrado uma pessoa que teve o corpo concretado por bandidos. As informações são do Jornal da Band.

O sub-oficial da polícia nacional do Paraguai, Fredy César Diaz, de 30 anos, foi baleado no peito e na cabeça por um homem garupa de uma moto e bateu o carro. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. No veículo, ficaram as marcas dos tiros.

Fredy estava entre os policiais que evitaram o resgate de um chefão do PCC de uma delegacia em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil no início da semana. O grupo tentava libertar Giovanni Barbosa da Silva, o "Koringa" ou "Bonitão", que havia sido preso horas antes. No dia seguinte, 8 integrantes da quadrilha foram mortos em um confronto em Ponta Porã, Mato Grosso Do Sul, também em região de fronteira.

A polícia sul-matogrossense reforçou a segurança na região depois de receber informações da inteligência da Polícia de São Paulo, onde o PCC tem sua principal base, sobre a possibilidade de ataques do crime organizado contra forças de segurança em represália à morte dos bandidos.

A guerra do tráfico na fronteira vem provocando mortes violentas nos últimos anos, com a disputa entre criminosos pelo controle da região, que é rota estratégica para a entrada de armas e drogas de países da América do Sul no Brasil.

Desde o último fim de semana, quarto corpos foram encontrados perto da fronteira: um do lado paraguaio e três no Brasil. Um deles estava concretado dentro de um tambor na beira de um córrego em Ponta Porã.

A polícia investiga se foi um assassinato nos moldes cruéis dos cartéis mexicanos.

  • Jornal da Band