Notícias

Homem é preso suspeito de ter provocado incêndio que matou os 3 filhos em Poá

Da Redação, com 1º Jornal 18/02/2021 • 04:54 - Atualizado em 18/02/2021 • 05:00
Homem é preso suspeito de ter provocado incêndio que matou os 3 filhos em Poá
Homem é preso suspeito de ter provocado incêndio que matou os 3 filhos em Poá
Reprodução

Um homem foi preso suspeito de provocar incêndio que matou os próprios filhos, duas crianças e uma adolescente, em Poá, na Região Metropolitana de São Paulo. As informações são do Leo Zvarick, no 1º Jornal

A prisão preventiva de Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, aconteceu na tarde desta quarta-feira (17). Já o caso aconteceu na madrugada de ontem, na Rua Fernando Pinheiro Franco, 242, na Vila Real.

De acordo com a Polícia Civil, Ricardo teria provocado o incêndio para lucrar com um seguro de vida da família, no valor de aproximadamente R$ 200 mil.

Fernanda Verônica Reis Vieira, de 14 anos, Gabriel Reis Vieira, de sete anos e Lorenzo Reis Vieira, de apenas um ano, morreram carbonizados dentro de um quarto.

Ainda segundo a polícia, Ricardo inicialmente acionou as autoridades dizendo que estava em casa dormindo, quando sentiu forte cheiro de fumaça, saiu correndo e foi até o quarto onde estavam as crianças. 

Ele percebeu que o quarto estava fechado e havia luz e fumaça dentro do lugar. Ricardo afirma ter forçado a porta, mas que teria lhe faltado forças porque estava à base de calmantes para dormir. 

O homem também relatou que "acha" que ouviu gritos de socorro, mas pensou ser apenas imaginação. Ele decidiu então sair para pedir socorro, se dirigindo à delegacia. 

Já uma vizinha da família diz ter ouvido gritos de socorro vindos do local, além do suspeito balbuciando algo para as crianças pouco antes da chegada da polícia.

Os policiais militares que atenderam a ocorrência informaram que receberam o pedido de socorro para incêndio e tiveram de molhar suas roupas para tentar entrar na casa em chamas enquanto o grupamento de bombeiros não chegava. 

Com ajuda de Ricardo, os militares localizaram o quarto trancado, onde estavam as crianças. Mas, devido à fumaça, não conseguiram arrombar a porta. 

Com a chegada do Corpo de Bombeiros e parte do incêndio debelado, foi possível entrar no cômodo e encontrar as vítimas já mortas.

Momentos depois de chegarem ao local, as oito viaturas da corporação acionadas extinguiram o fogo. 

Na delegacia, uma vereadora da cidade chegou acompanhada de uma advogada e tentou impedir que Ricardo prestasse depoimento, alegando ser amiga do suspeito.

A Polícia Civil constatou inúmeras divergências nas declarações do acusado, que apresentou pelo menos três versões distintas, sugerindo inclusive um possível sequestro das crianças, praticados pelo pai, identificado como Leandro, e seu atual parceiro, Lincoln. 

Alegou ainda que o quarto poderia ter sido trancado por Leandro com ajuda de Lincoln, porque é beneficiário de um seguro no valor de R$ 200 mil. No entanto, Ricardo já havia afirmado que só ele possui a chave do cômodo. 

Ainda segundo a polícia, Ricardo forçou um choro emocionado, sem lágrimas, durante seu depoimento. Os corpos das vítimas fatais foram encaminhados ao IML de Suzano. O caso foi registrado como homicídio qualificado e consumado pela Delegacia de Poá.

  • preso
  • suspeito
  • incêndio
  • matou
  • filhos
  • Poá