Jornal da Band

Atirador de escola nos EUA sofria bullying por ser gago e avisou sobre massacre

No último domingo, dias depois de completar 18 anos, Ramos comprou legalmente dois fuzis AR15, quase 400 cartuchos de munição, além do colete a prova de balas

Eduardo Barão 25/05/2022 • 19:57 - Atualizado em 25/05/2022 • 21:19

As autoridades divulgaram novos detalhes dos motivos que levaram Salvador Ramos, de 18 anos, a matar 22 pessoas em uma escola no Texas, no Estados Unidos.

Salvador também era estudante e acabou morto pela polícia. Ele sofria bullying e provocações por ser gago e brigava constantemente.

No último domingo, dias depois de completar 18 anos, Ramos comprou legalmente dois fuzis AR15, quase 400 cartuchos de munição, além do colete a prova de balas.

Minutos antes da tragédia, Salvador fez um post no Facebook avisando o que faria na escola. Ele chegou a atirar na própria avó que sobreviveu e está internada em estado grave. 

O Texas é o estado americano com o maior número de armas registradas nos Estados Unidos - são mais de um milhão. O massacre na escola de Uvalde reacendeu o debate sobre as leis que regulam a compra e o uso de armas do país.

O presidente Joe Biden foi aos microfones dizer que quer endurecer ainda mais a lei. Mas em tragédias, como a de Uvalde, os americanos já se acostumaram a ouvir promessas de seus líderes que não foram para frente.