Jornal da Band

Protestos após "tradição" de matança de golfinhos fazem Ilhas Faroé reavaliarem lei

Imagens que chocaram mundo mostraram cerca de 1.400 golfinhos capturados e mortos no território autônomo dinamarquês

Felipe Kieling, do Jornal da Band 21/09/2021 • 20:43 - Atualizado em 22/09/2021 • 00:11

Protestos no mundo todo contra a matança de centenas de golfinhos deram algum resultado - a prática será reavaliada em pelas Ilhas Faroé.

Em imagens que chocaram o mundo, a água da praia ficou toda vermelha. Na areia, mais de 1.400 golfinhos enfileirados. Até mesmo os moradores das Ilhas Faroé, território autônomo da Dinamarca, ficaram assustados com a quantidade de animais mortos, que normalmente não passa de 250.

A caça de golfinhos e baleias-piloto no Mar do Norte é uma tradição local praticada há séculos na região. Toda a carne é dividida entre os moradores da Ilha e, por muito tempo, foi uma forma de alimentar a população. Mas a prática também é contestada por muitos, que consideram o ato cruel.

Todos os anos, há protestos contra esse tipo de caça. Desta vez, as imagens dos golfinhos mortos, rodaram o mundo e chocaram muita gente. ONGS que defendem os direitos dos animais dizem que a repercussão internacional do massacre pode ajudar na pressão para que autoridades locais façam algo para diminuir essa matança.

O governo das Ilhas Faroé resolveu convocar uma avaliação oficial desse tipo de caça. Em um comunicado, as autoridades locais afirmaram considerar a prática sustentável, já que toda a carne é consumida. Mas concordaram que é preciso reavaliar qual é o papel dessa tradição na sociedade de hoje.

  • Internacional
  • jornal da band