Jornal da Band

CPI da covid: governo deve ter minoria na comissão; veja lista de indicados

Além dos 11 titulares, a comissão contará com 7 suplentes e deve ser instalada em até duas semanas

Da Redação, com Jornal da Band 14/04/2021 • 22:33

Os partidos já têm em mãos uma lista de indicações de senadores que devem compor a CPI da Covid-19. As informações são do Jornal da Band.

Enquanto o Supremo Tribunal Federal confirmava a determinação de abertura da comissão, no Senado, líderes partidários definiam a lista dos integrantes da comissão, de acordo com o tamanho das bancadas. 

O bloco MDB, PP e Republicanos indicará os senadores Renan Calheiros, Eduardo Braga e Ciro Nogueira, respectivamente. Já os nomes do bloco PSDB, PODEMOS e PSL serão Tasso Jereissati e Eduardo Girão. Omar Aziz e Otto Alencar são os indicados do PSD. DEM, PL e PSC vão ter Jorginho Melo e Marcos Rogério. A oposição se divide em dois blocos: Rede, Cidadania, PDT E PSB com Randolfe Rodrigues, enquanto Humberto Costa vai representar PT e PROS. 

Além dos 11 titulares, a comissão contará com 7 suplentes e deve ser instalada em até duas semanas. 

Caso as indicações sejam confirmadas na comissão, o governo já começa com dificuldade. A maioria dos senadores é de oposição ou independente em relação ao Planalto. Mas até o início dos trabalhos, os líderes podem trocar os integrantes. 

Disputam a presidência da comissão Tasso Jereissati, do PSDB, Eduardo Girão, do Podemos e Marcos Rogério, do DEM. Como relator, cargo mais importante, Eduardo Braga, do MDB, é o mais bem cotado. 

Contrário à CPI, o aliado do planalto Ciro Nogueira (PP-PI) disse à Rádio Bandeirantes que vai trabalhar pela ampliação das investigações. 

“O que foi feito com os bilhões de reais que foram transferidos para os governos estaduais para combate a essa pandemia e esses recursos não foram utilizados e, as vezes, existe a denúncia de que foram desviados. Eu acho que é um ponto primordial”, justificou. 

A comissão vai investigar ações e omissões do governo no enfrentamento à pandemia, quando Eduardo Pazuello estava à frente do Ministério da Saúde. A aplicação dos recursos federais transferidos a estados e municípios também será apurada. E o presidente Jair Bolsonaro disse que não faltará munição pra isso. 

“Nós temos atualmente mais de 100 mandados da PF em cima desse pessoal, mais de 100 mandados de busca e apreensão e prisões preventivas”, explicou. 

Caberá a Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado, definir se a CPI ocorrerá de forma presencial, virtual ou híbrida. 

  • cpi da covid
  • pandemia
  • senado
  • bolsonaro