Jornal da Band

CPI investiga suspeita de propina mensal ao Ministério da Saúde

Comissão sustenta que parte do pagamento anual de R$ 257 milhões com a empresa VTCLog seria um “mensalinho” no Ministério da Saúde

Caiã Messina, do Jornal da Band 19/07/2021 • 21:05 - Atualizado em 19/07/2021 • 21:12

A CPI da Pandemia quer apresentar o relatório final até setembro. As investigações incluem as suspeitas de propina de uma empresa contratada há anos pelo Ministério da Saúde.

Na primeira conversa com apoiadores em Brasília após a alta hospitalar, Jair Bolsonaro voltou a atacar a comissão do Senado e a negar corrupção em seu governo.

“Aí tenta essa CPI dos três patetas, três patetas não, três otários. Tentam de toda maneira colar 'ah, mas o Pazuello conversou com empresário'. Pô, se tivesse tratando de corrupção, pessoal, não ia ter vídeo, meu Deus do céu”, justificou o presidente, referindo-se pejorativamente ao presidente da CPI Omar Aziz (PSD-AM), o vice Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e o relator Renan Calheiros (MDB-AL).

Já a oposição lista possíveis crimes no atual governo.

“Tráfico de influência, improbidade administrativa, advocacia administrativa feita pelo ex-ministro Pazuello, pelo ex-secretário executivo Élcio Franco”, acusa o senador Otto Alencar (PSD-BA).

A comissão abriu uma nova frente de investigação: a denúncia de propinas mensais de até R$ 296 mil a políticos e servidores do Ministério da Saúde.

A CPI sustenta que parte do pagamento anual de R$ 257 milhões com a empresa VTCLog seria uma espécie de “mensalinho”. A companhia pagaria propina para garantir contrato de transporte de insumos para a saúde. Os senadores da oposição afirmam que o líder do governo na Câmara Ricardo barros (PP-PR) seria um dos beneficiados.

Mais de 95% dos repasses à VTCLog foram fechados sem licitação, quando Barros comandou o ministério, durante o governo de Michel Temer. Prática que, segundo a CPI, ainda permanece.

Pela internet, o deputado negou. Afirmou que deixou o cargo em abril de 2018, e o contrato foi assinado três meses depois.

A comissão que investiga as ações do governo Bolsonaro na pandemia vai dividir as tarefas em sete grupos para tentar entregar o relatório final em setembro.

  • ministério da saúde
  • cpi
  • ricardo barros
  • vtclog