Jornal da Band

Eleições 2022: PSD dá prazo a Rodrigo Pacheco, e Lula encontra Dilma

Gilberto Kassab disse que Pacheco tem até março para se firmar como principal candidato do PSD

Caiã Messina 14/01/2022 • 21:53 - Atualizado em 14/01/2022 • 22:35

O presidente do PSD, Gilberto Kassab, disse hoje (14) que o pré-candidato do partido ao planalto, o presidente do senado Rodrigo Pacheco, tem até março para conseguir se firmar na disputa.

"Ele é sim o candidato escolhido.Foi convidado a ocupar esse espaço e agora diante dessa manifestação do partido estamos fazendo essa avaliação em conjunto e no mês de março teremos a decisão.

Os pré-candidatos estão de olho nas movimentações do MDB e do PSD, que são vistos como potenciais aliados, mas tem nomes lançados ao planalto - os senadores Simone Tebet e Rodrigo Pacheco.

O presidente Jair Bolsonaro ironizou os concorrentes em visita ao estado do Amapá.

"Pode me dizer que sou grosso,  que não tenho muita educação, que falo demais, fale o que bem entender, mas nosso governo tem realização e não tem corrupção", afirmou.

Lula, o principal adversário de Bolsonaro, se encontrou com Dilma Rousseff para tentar acertar o papel da ex-presidente na campanha petista.

No entanto, não houve decisão. Setores do PT avaliam nos bastidores que o ideal é de que Dilma tenha menos protagonismo e o grosso do discurso seja focado nas realizações do governo Lula.

Ciro Gomes comparou Bolsonaro a Fernando Collor. O pré-candidato do PDT disse que, mesmo sem impeachment, o presidente passa por uma cassação lenta e irreversível.

Sergio Moro anunciou hoje que está com covid, mas sem sintomas após três doses da vacina e vai fica em isolamento.

Ele foi chamado para um debate por um grupo de advogados, sendo alguns que trabalharam com réus da Lava Jato, e rebateu dizendo que não há debate com defensores pela impunidade, "mas sim com o chefe deles, o Lula, a qualquer hora, sobre o mensalão e o petrolão".

Em São Paulo, para marcar posição pró-vacina, João Doria, governador paulista e pré-candidato do PSDB, participou da imunização da primeira criança no país, um menino de oito anos da etnia xavante.