Jornal da Band

Quinze estados iniciam vacinação de crianças contra covid-19

Segundo especialistas, o crescimento no número de casos de covid reforça a necessidade da vacinação das crianças o mais rápido possível

Rodrigo Hidalgo 15/01/2022 • 19:40 - Atualizado em 16/01/2022 • 13:12

Pelo menos 15 estados já começaram a aplicar, hoje (15), as primeiras doses da vacina contra covid em crianças.

Em Londrina, no Paraná, a mãe Gisele se emocionou ao ver a filha Isadora, de 6 anos, ser imunizada. "A gente sabe que a vacina é uma forma de proteger a Isadora", disse.

Isadora foi a primeira criança a receber a vacina infantil contra a covid no estado. Já em Ananindeua, no Pará, o menino Saymon, que é autista, inaugurou a campanha no estado.

As doses pediátricas também começaram a ser aplicadas hoje em Salvador, na Bahia, em crianças com deficiência permanente e na faixa etária dos 11 anos sem comorbidades. Na Grande São Paulo, a cidade de Santo André realizou o primeiro evento de vacinação. Em Belo Horizonte, em Minas Gerais, a imunização teve início exclusivamente nos postos de saúde.

Segundo especialistas, o crescimento no número de casos de covid reforça a necessidade da vacinação das crianças o mais rápido possível.

A pediatra Ana Escobar explica que a doença é sim perigosa para crianças entre 5 e 11 anos.

"Algumas crianças não evoluem bem. Então é aquela história: se isso acontece com seu filho, com seu neto, é 100% para você. Então quanto maior a proteção que a gente garantir para essa faixa etária melhor", afirmou. 

A vacina é aplicada em duas doses, com um intervalo de oito semanas entre elas. O governo federal recebeu o primeiro lote, com 1,2 milhão de imunizantes na quinta-feira e finalizou a entrega na madrugada de hoje (15).

A previsão é de que o Brasil receba 20 milhões de doses até março, o que é suficiente para vacinar a população de crianças de 5 a 11 anos de idade apenas com a primeira dose.

No entanto, o calendário pode ser acelerado caso a Anvisa aprove a aplicação da Coronavac em crianças a partir dos 3 anos. A expectativa é que a agência tome a decisão na próxima semana. O Instituto Butantan já tem em estoque 15 milhões de doses prontas para serem usadas.