Jornal da Band

Ex-presidente da Caixa pode ser investigado por obras feitas em sua mansão no DF

A mansão particular onde ele mora passou por obras pagas pelo banco. A casa fica no Lago Sul, área nobre de Brasília e a obra teve custo de R$ 50 mil .

Carolina Villela 05/07/2022 • 20:15 - Atualizado em 05/07/2022 • 20:38

Acusado de assédio moral, o ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, é alvo de mais denúncias. A mansão particular onde ele mora passou por obras pagas pelo banco. A casa fica no Lago Sul, área nobre de Brasília e a obra teve custo de R$ 50 mil . 

A reforma, feita em julho de 2020, incluiu a instalação de onze postes de luz no jardim da residência.

Guimarães também teria tentando instalar, as custas da Caixa, uma cerca para separar a casa da orla do Lago Paranoá, mas o setor responsável negou fazer a obra.

Na época, a Polícia Federal investigada um ataque hacker contra Pedro Guimarães após ele reforçar medidas de segurança na Caixa para evitar fraudes no Auxílio Emergencial.

A defesa de Pedro Guimarães confirmou que a Caixa bancou as melhorias, mas alegou que se tratava de questão de segurança. O banco afirmou que seguiu as normas de proteção a funcionários em situação de risco.

Pedro Guimarães pediu demissão, na semana passada, depois que foram relevadas denúncias de assédio sexual e moral contra ele.

Nesta terça-feira (5), a nova presidente da instituição, Daniella Marques, tomou posse oficialmente. Participaram o presidente da Câmara, Arthur Lira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro (PL).