Jornal da Band

Vida e obra de Rita Lee são celebradas em exposição em SP

Museu da Imagem e do Som mostra cenários e objetos históricos dos quase 60 anos da artista

Sônia Blota, do Jornal da Band 24/09/2021 • 20:00 - Atualizado em 28/09/2021 • 15:45

Uma exposição celebra a vida e obra de Rita Lee no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo.

Rita Lee Jones, ou simplesmente Rita Lee, é mais do que uma artista. É uma mulher e tanto, com uma biografia recheada de capítulos, que vão do sucesso internacional aos momentos mais difíceis.

As lembranças guardadas por Rita Lee ao longo dos seus quase 60 anos de carreira estão no MIS e revivem cenários históricos que marcam a trajetória da artista.

O figurino extravagante, o mellotron inseparável, as botas, os tons dos cabelos ruivos ao longo de décadas. A capa do disco de 1982, que traduz o amor de Rita Lee com o músico Roberto de Carvalho, que atravessa gerações. Parceiro de palco, composições e arranjos, com quem teve três filhos.

João Lee, o segundo herdeiro, é o curador da exposição e conta como foi o trabalho de revirar o baú da própria mãe.

“Ela participou de absolutamente todos os momentos, desde a concepção do projeto. A gente fez a validação emocional com ela o tempo inteiro. Porque tinha que ser do jeito dela. Ela é compositora das músicas, escreveu a própria biografia. Nada mais justo do que a gente manter essa coerência com a emoção dela”, descreve João.

Nos cadernos de cabeceira da Rita, embriões de letras de música de sucesso. Ela conta que a canção simplesmente acontecia na memória e ela precisava escrever rapidamente para não escapar nada. Foi assim com “Doce Vampiro”, “Chega Mais” e “Saúde.

“A Rita tem muitas camadas, a Rita é muito genial de uma maneira que eu não encontro em outras pessoas, mesmo pessoas geniais que a gente tem pelo mundo”, afirmou o diretor artístico da exposição, Guilherme Samora.

A mostra vai até novembro e abre de terça a domingo, com entrada de graça de terça a sexta-feira, das 10 às 11h30.

  • rita lee
  • MIS