Jornal da Band

Imagens exclusivas mostram mergulhador escondendo drogas sob navio

Megatraficantes encontraram um novo jeito para mandar cocaína do Brasil para o exterior

Da Redação, com Jornal da Band 19/05/2021 • 19:44 - Atualizado em 19/05/2021 • 20:52

O relógio marcava 1h30 da manhã. Um bote com três pessoas para junto a um navio atracado no porto de Santos. As imagens exclusivas mostram um mergulhador com um cilindro saltando no mar. Um dos traficantes entrega quatro sacolas recheadas com quase 100 kg de cocaína. Em um minuto, a embarcação parte.

O mergulhador fica debaixo d’água, escondendo a droga em um compartimento no casco do navio chamado “sea chest”, usado para controlar a entrada e a saída de água em sistemas com o de resfriamento do motor.

No dia seguinte, Receita Federal, Guarda Portuária, Polícia Federal e Marinha fizeram uma operação conjunta para resgatar a droga. O navio seguiria com a carga, avaliada em R$ 20 milhões, para países europeus, onde mergulhadores a serviço do tráfico fariam a retirada. As informações são do repórter Rodrigo Hidalgo, no Jornal da Band.

A estimativa é de que o mergulhador tenha demorado mais de uma hora a 8 m de profundidade para esconder a droga. Um trabalho que demanda conhecimento técnico para o controle da carga embaixo d’água, e ainda com a dificuldade do mergulho noturno.

O caso envolve diversas variáveis, conhecidas por quem entende de atividades subaquáticas. “Como essa carga ia se comportar na água, se ela é positiva, se é negativa, como eles iam fazer essa carga chegar até a profundidade que eles queriam”, listou André Gusson, treinador de instrutores de mergulho.

A Polícia Federal agora analisa as imagens em busca de pistas para identificar o mergulhador e os outros traficantes.

  • Jornal da Band
  • tráfico de drogas
  • mergulho