Jornal da Band

Ministro da Educação descarta favorecimento em repasse de verbas

Em áudios divulgados hoje, Milton Ribeiro disse que prioriza municípios que tiveram pedidos de verba negociados por dois pastores

Caiã Messina 22/03/2022 • 19:32 - Atualizado em 22/03/2022 • 20:54

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou, em nota, que a distribuição de dinheiro do MEC segue apenas o orçamento e critérios técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

Ele ressaltou que não há nenhuma hipótese de favorecer ou desfavorecer prefeitos e governadores.

Áudios divulgados hoje mostram gravações em que ele diz que o governo prioriza municípios que tiveram pedidos de verba negociados diretamente por dois pastores que não possuem cargos nos ministérios e que isso seria um pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Na nota, Milton Ribeiro disse que o presidente Jair Bolsonaro não pediu atendimento preferencial aos dois pastores.

“Registro ainda que o Presidente da República não pediu atendimento preferencial a ninguém, solicitou apenas que pudesse receber todos que nos procurassem, inclusive as pessoas citadas na reportagem”, afirmou.

O Palácio do Planalto não se posicionou, mas o “centrão”, base do governo no Congresso, e a bancada evangélica cobraram explicações.

A oposição entrou no Ministério Público com uma representação contra Milton Ribeiro por improbidade administrativa e exigiu a demissão do ministro.