Notícias

Refugiados buscam reconstruir a vida em abrigos no Brasil

Número de pessoas que chegam ao país para fugir de guerras e perseguição mais do que dobrou no ano passado

Por Márcio Campos

O número de refugiados no Brasil mais que dobrou no ano passado. São milhares de pessoas que deixaram o país de origem por causa de guerras, pobreza e perseguição política ou religiosa.

Em um abrigo na Zona Leste de São Paulo, vivem 171 refugiados. Entre eles está Obaid, que trabalhava como policial no Afeganistão. Há dois anos ele decidiu fugir, e agora ele ajuda outros imigrantes afegãos que chegam ao Brasil.

"Ajudo agora com a língua, como tradutor, ajudo eles com a Polícia Federal, fazer CPF, essas coisas…", diz Obaid.  

“Agora está boa minha vida. Estou trabalhando, tudo certo, muito boa agora. Feliz no Brasil, muito", completa.  Mais de mil imigrantes refugiados já passaram pelo centro de acolhimento - entre afegãos, marroquinos e palestinos.

"A gente busca autonomia. Estarem com emprego, com a renda fixa, em um trabalho digno. Assim que estão estabelecidos, vai encaminhando para ter um local próprio, para moradia e se estabilizando aqui no Brasil", explica Bruna Lima, coordenadora do local.  

O número de estrangeiros reconhecidos como refugiados no Brasil mais que dobrou no ano passado, chegando a 143 mil pessoas. Os venezuelanos representaram 97% dos pedidos de refúgio aceitos em 2023. Roraima é o Estado que mais recebeu solicitações de refugiados (51%), seguido do Amazonas (14%) e São Paulo (7,5%).

Hawa está no abrigo com os pais e os seis irmãos.Ela já se enturmou na escola, sendo cumprimentada pelos amigos no idioma dela, em persa. "Todo dia quando eu chego, ele vai falar que é 'salamaleico', 'salamaleico', aí vou brincar com ele, falar com ele”, diz a menina.  

Além de estudar, ela já tem outros planos para viver em solo brasileiro. No Estado de São Paulo, o Aeroporto Internacional de Guarulhos também é uma importante porta de entrada apra quem vem de outras partes do mundo.

Nesta sexta-feira (15), cerca de duzentos imigrantes permaneciam acampados no terminal à espera de atendimento da polícia federal./ um problema no sistema atrasou a liberação do cadastro./

"O Brasil é um país reconhecido como um país de acolhida. Tem leis favoráveis, documentação farta, acesso aos serviços públicos de saúde e educação, assistência social", afirma Maria Beatriz Nogueira,  chefe do escritório do ACNUR de São Paulo.

Além de refúgio no Brasil, existem imigrantes que querem apenas autorização para cruzar o país. O destino final costuma ser o México, de onde tentarão entrar nos Estados Unidos.

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais