Jornal da Band

Vice-presidente da Caixa deve ser demitido por denúncias de assédio

Ele já teria sido avisado da demissão pela futura presidente Daniella Marques. Barbosa foi apontado em denúncias de funcionárias como uma espécie de facilitador do assédio feito pelo chefe, Pedro Guimarães

Carolina Villela 01/07/2022 • 19:41 - Atualizado em 01/07/2022 • 20:23

O vice-presidente de negócios e atacado da Caixa Econômica Federal, Celso Barbosa, deve ser demitido nos próximos dias após surgirem novas denúncias de assédio sexual e moral contra diretores do banco e o ex-presidente Pedro Guimarães.

Ele já teria sido avisado da demissão pela futura presidente Daniella Marques. Barbosa foi apontado em denúncias de funcionárias como uma espécie de facilitador do assédio feito pelo chefe, Pedro Guimarães.

Além de Celso Barbosa, Daniella vai demitir outros executivos ligados a Pedro Guimarães. A dança das cadeiras deve ocorrer logo depois que a nova presidente tomar posse, na semana que vem.

A auditoria da Caixa já registrou 51 denúncias contra Pedro Guimarães desde que o escândalo surgiu, há uma semana. E a cada dia surgem novas evidências de que os assédios, não só sexual, eram cometidos nas dependências do banco.

O presidente Jair Bolsonaro não comentou as denúncias. Apesar do risco de que Pedro Guimarães possa retaliar o governo pode ter sido demitido rapidamente, no Planalto o assunto é dado como encerrado.

O vice-presidente Hamilton Mourão disse que Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal,que deixou o cargo na quarta-feira (29) após ser denunciado por assédio sexual, "falhou feio" na parte moral, mas que fez um bom trabalho à frente do banco.

“Em termos operacionais, o trabalho do Pedro foi muito bom. A Caixa avançou bastante ao longo desses anos, mas, lamentavelmente, nessa parte moral, falhou e falhou feio”, salientou o vice-presidente em fala à imprensa nesta sexta-feira (1º).

A corregedoria da Caixa vai contratar uma empresa para apurar os casos. As denúncias também são investigadas pelo Ministério Público Federal e pelo Tribunal de Contas da União.