Notícias

Para Moro, mensagens hackeadas foram usadas com "sensacionalismo" para anular condenações

Ex-juiz foi ouvido como testemunha na ação penal da Operação Spoofing

Da Redação, com Jornal da Noite 18/05/2021 • 01:06 - Atualizado em 18/05/2021 • 07:26

O ex-juiz Sergio Moro afirmou, em depoimento feito nesta segunda-feira (18) à Justiça Federal do Distrito Federal, que as mensagens hackeadas dos integrantes da operação Lava Jato foram usadas "de maneira sensacionalista para tentar anular condenações de pessoas que se envolveram em crimes de corrupção". 

Moro foi ouvido como testemunha na ação penal da Operação Spoofing, de julho de 2019, que prendeu os hackers que invadiram celulares de procuradores da força-tarefa em Curitiba. 

O material foi usado em decisões do STF, que decretou a suspeição de Moro e cancelou as condenações do ex-presidente Lula. Os ministros julgaram o foro de Curitiba como incompetente para o julgamento das ações envolvendo o petista, e as ações foram encaminhadas ao DF. Também decidiram a suspeição do ex-magistrado nos julgamentos. 

Moro também negou interferência junto à Polícia Federal para restringir acesso às mensagens enquanto era ministro da Justiça.

A ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB) também foi ouvida. 

É a segunda vez que Moro e Manuela prestam depoimento à Justiça sobre o vazamento de mensagens. 

  • sergio moro
  • manuela d'ávila
  • operação spoofing