Notícias

Longe de meta de 1 milhão por dia, ritmo da vacinação no Brasil preocupa

País não ultrapassa 900 mil imunizados diariamente desde 30 de março

Da Redação, com Jornal da Band e BandNews FM 20/04/2021 • 05:25

Três meses depois do início da vacinação contra a covid no país, a meta de imunizar pelo menos um milhão de pessoas por dia está longe de ser alcançada. 

Há dois meses, cerca de 300 mil doses eram aplicadas por dia. O maior número alcançado em 30 de março, com 1.010.800 imunizados. Desde então, o número não passou de 900 mil nenhuma vez. Na última sexta, foram 569.255. 

A desaceleração preocupa. Especialistas alertam que, se o ritmo não melhorar, a tendência é que a aplicação da primeira dose estacione e aumente apenas a da segunda. 

O Ministério da Saúde prevê 30 milhões de doses em abril e 46 milhões em maio. Mas o matemático Giscard Stephanou estima que é preciso número bem maior de vacinas. 

“Digamos que começasse a vacinar a partir de hoje um milhão de pessoas por dia, no caso, a primeira dose. A gente terminaria por volta do final de agosto. Então, seria aí uma queda de 6 meses. Isso só vai acontecer se o Brasil primeiro começar a receber de 50 a 60 milhões de doses por mês”, explica. 

“É necessário que consigamos, o mais urgentemente possível, vacinar o maior número de pessoas em um menor espaço de tempo, para que a gente possa primeiro, preservar essas vidas e segundo, coibir o aparecimento dessas variantes que podem, inclusive, comprometer a eficácia das vacinas que estamos utilizando”, alertou Renato Kfouri, primeiro secretário da Sociedade Brasileira de Imunizações. 

A Anvisa autorizou testes de uma nova vacina produzida na China, pela empresa Sichuan Clover. 

Nesta segunda-feira (19), técnicos da agência iniciaram inspeção, que vai até sexta, nas fábricas da vacina russa Sputnik V.

Brasil lidera mortes por número de habitantes 

O Brasil ultrapassou os Estados Unidos, país que tem o maior número de vítimas fatais da covid-19 no total, em número de mortes por habitante. São 1.750 vítimas a cada milhão de habitantes, contra 1.747 dos norte-americanos. 

Na média móvel, que contabiliza os últimos sete dias, Brasil é o país onde mais gente morre por covid, com mais de 2.800 óbitos. 

O Brasil se aproxima da marca de 375 mil mortos pela Covid-19. Nesta segunda-feira (19), o Ministério da Saúde contabilizou mais 1.347 vidas perdidas para o coronavírus. Os números costumam ser menores no início da semana por causa do represamento de dados do fim de semana com equipes menores nas unidades de saúde. 

Ao todo, desde o início da pandemia, 374.682 brasileiros não resistiram as complicações da Covid-19. 

Foram confirmados mais 30.624 casos confirmados da doença, chegando a 13.973.695 brasileiros infectados desde fevereiro do ano passado.