Notícias

"Me perdoa por tudo": mãe de Henry manda cartas para delegado e ex-marido

Ao delegado, Monique pediu segunda chance para prestar depoimento sobre o caso; já ao ex, disse que faria tudo diferente se pudesse

Da Redação, com BandNews TV 02/05/2021 • 20:46 - Atualizado em 06/05/2021 • 19:42

Na noite deste domingo, 2, a Band teve acesso a duas cartas enviadas por Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, de 4 anos, morto em 8 de março. Uma delas foi destinado ao delegado do caso e a outra para seu ex-marido, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, pai do menino. 

Para o antigo companheiro, Monique se mostra arrependida. “Me perdoe por tudo. Eu não sabia o que estava acontecendo”, declarou. 

No relato, ela disse ainda que Leniel a conhece e sabe exatamente a pessoa que ela é e quais são os seus princípios: “Se eu pudesse voltar atrás, fazer tudo de novo para tê-lo conosco, até no fundo da casa dos meus pais, tendo uma vida simples, mas com o sorriso dele iluminando todas as nossas manhãs, eu faria”.  Na última quarta-feira, a polícia divulgou mensagens em que Monique pedia que Deus a ajudasse

Já na carta ao delegado, Monique implora mais uma chance para contar sua histórias, sem mentiras e de uma vez por todas. "Senhor delegado, peço humildemente que o senhor me dê mais uma chance em ser ouvida. Preciso dar a versão verdadeira do que aconteceu. Esse relato é apenas um desabafo de uma mãe que clama pela verdade. Há muito a ser dito e muito a ser esclarecido, sem mentiras, sem treinamentos e sem inverdades. Eu estava sendo manipulada sem perceber”, disse. 

“Todas as vezes em que tentava procurar uma maneira de me desvencilhar e tentar contar a verdade, eu era impedida. E foram muitas vezes. Quando fui presa, fui humilhada, fui xingada, fui desmoralizada, fui apedrejada, ameaçada, mas fui libertada. Não existe dor maior ou pena maior do que perder um filho. Não existe um deserto pior. Não há um dia que o meu coração não sangre pela morte do meu filho amado”, completou. 

Monique disse ainda que, no presídio, teve a chance de se reconectar com Deus e que lá pediu perdão por seus pecados. “Todos os dias peço para que Deus me tire o ar para eu poder reencontrar o meu tesouro no reino dos céus. Sou uma mãe desesperada e que daria qualquer coisa para ter o meu filho em meus braços novamente.”

Depois de ser indiciado pela Polícia Civil, o vereador também foi denunciado pelo Ministério Público do Rio pelo crime de tortura, contra a filha de uma ex-namorada. A pena prevista pode variar de 2 a 8 anos de prisão e pode ser aumentada em um sexto porque a vítima. Era uma criança. 

Em 8 de abril, ele e Monique Medeiros foram presos temporariamente por serem suspeitos pela morte de Henry, além da acusação de atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas do caso. polícia espera a perícia em celulares do casal para encerrar o inquérito e oferecer a denúncia ao Ministério Público. Jairinho e Monique Medeiros devem ser indiciados por homicídio duplamente qualificado, com uso de tortura e sem chance de defesa da vítima.  

  • Henry
  • cartas