Notícias

Ministro da Cidadania contraria Guedes e afirma que governo busca soluções no orçamento para o Auxílio Brasil

João Roma reforçou o que já vem sendo dito pelo presidente Jair Bolsonaro em entrevista exclusiva na Rádio Bandeirantes nesta quinta-feira (21)

Rádio Bandeirantes 21/10/2021 • 11:05

O ministro da Cidadania contraria a fala de Paulo Guedes e afirma que o governo busca soluções dentro do orçamento para financiar o Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família. João Roma reforçou o que vem sendo dito pelo presidente Jair Bolsonaro em entrevista exclusiva ao Jornal Gente, na Rádio Bandeirantes nesta quinta-feira (21). 

O mercado financeiro reagiu com preocupação ao anúncio feito pelo Ministro da Economia de que seria necessário furar o teto de gastos para bancar o programa, que prevê pagamento mensal de R$ 400 aos beneficiários.

João Roma disse que a fonte de renda do programa social estará dentro do orçamento, mas que isso depende de decisões tomadas pelo Congresso. 

“Estamos buscando dentro do orçamento do governo, como tem sido desde o princípio, fazer com que se aponte nossa meta governamental as fontes para o pagamento e o fortalecimento do programa social. Essa solução virá entre o entendimento do governo com o Congresso Nacional. O surgimento das novas fontes estava também atrelado a reforma do imposto de renda, que atrasou. Com isso, estamos fazendo um exercício para que dentro do orçamento se encontre espaços para que possa fazer não apenas o fortalecimento e incremento do programa permanente, como um benefício transitório, que vai até dezembro do próximo ano. Que nessa saída da pandemia nenhum beneficiário receba menos de R$ 400”, disse. 

Ainda não há data definida para as propostas serem votadas no Senado e na Câmara. O novo programa social que vai substituir o Bolsa Família terá um reajuste de 20% em relação aos valores pagos atualmente. São necessários R$ 85 bilhões de reais para pagar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400 reais.