Notícias

Ministro não quer fim da temporada de cruzeiros e defende imunidade de rebanho

Gilson Machado, do Turismo, destacou a importância econômica das viagens e disse que a vacina "não serve de nada"

Da Redação, com Bandnews 12/01/2022 • 20:26

Gilson Machado, Ministro do Turismo, criticou a recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) sobre a temporada de cruzeiros no Brasil. A agência quer a suspensão definitiva das viagens nos navios, por causa do aumento de casos de covid-19. Mas Gilson discorda e prefere apostar na "imunidade de rebanho" - a infecção em massa da população.

"A tendência é a gente se livrar da covid-19 com a imunização de rebanho, até porque a gente vê que é a influenza (vírus da gripe) que está gerando pressão nos hospitais", declarou Gilson, em entrevista à Bandnews TV.  

O Ministro também criticou as vacinas contra covid-19, dizendo que elas não impedem totalmente infecção.  

"A vacina não serve de nada. Todo mundo só entrou nos cruzeiros porque estava vacinado e tivemos quase 800 casos. A vacina não evita a doença", declarou Gilson.

Laboratórios, cientistas e infectologistas afiram que as vacinas diminuem as chances de transmissão e reduzem principalmente os casos graves de covid-19. Por isso, no mundo todo, apesar do aumento de infecções, as internações e mortes não seguem o mesmo ritmo de crescimento.

Para criticar a recomendação da Anvisa, Gilson também destacou a importância econômica da temporada de cruzeiros.

"Quero dizer o tamanho da temporada de cruzeiros no Brasil. Ela geraria R$ 1,7 bilhões e 35 mil empregos. De cada 13 cruzeiristas que embarcam, 1 emprego é gerado", afirmou o Ministro.

Gilson também declarou que os cruzeiros só registram mais casos de covid-19 porque realizam mais testes do que outros meios de transporte.

"Compara com o ônibus. Entra no ônibus de 6 horas da tarde pra ver. Vamos chegar no Aeroporto de Brasília. Tem mais de 1% ou menos de 1% com covid-19?", questionou Gilson, citando que o número de infectados nos cruzeiros foi de 1% dos passageiros transportados.

Ele argumentou ainda que os Estados Unidos não suspenderam a temporada de cruzeiro. O país norte-americano tem registrado mais de 700 mil casos novos por dia, em média.

O Ministro deixou claro que não tem a última palavra sobre a temporada de cruzeiros e precisará entrar em contato com a Anvisa, com o Ministério da Saúde e com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para discutir o assunto. A recomendação da agência foi divulgada na noite desta quarta-feira (12), poucos minutos antes de Gilson ser entrevistado na Bandnews.