Notícias

MP apura violação de sigilo por enfermeira que divulgou informações sobre atriz

Funcionária teria ameaçado passar informações sobre decisão de Klara Castanho entregar bebê fruto de estupro para adoção

Da Redação 27/06/2022 • 16:17 - Atualizado em 27/06/2022 • 19:58

O Ministério Público de São Paulo abriu nesta segunda-feira (27) um inquérito para apurar a violação de sigilo profissional pela enfermeira que divulgou informações pessoais da atriz Klara Castanho

Os conselhos Federal e Regional de Enfermagem já anunciaram que a funcionária pode perder o registro profissional; o hospital onde a artista ficou internada na região metropolitana de São Paulo também abriu uma sindicância.  

Logo depois do parto, a mulher teria ameaçado levar para a imprensa informações sobre a decisão de Klara de entregar para adoção um bebê fruto de estupro. 

O caso foi levado à público de maneira parcial, o que gerou uma onda de ataques contra a atriz, de 21 anos. 

No sábado, ela publicou um relato nas redes sociais explicando a situação, e ressaltou que a história ter se tornado pública não foi um desejo dela. 

No mesmo comunicado, a jovem – que descobriu a gravidez já em estágio avançado – disse que não fez boletim de ocorrência por se sentir envergonhada e culpada. 

Em nota, a Promotoria de Justiça da Infância e de Santo André informou que todo o procedimento de entrega do recém-nascido para adoção seguiu integralmente o trâmite previsto no Estatuto da Criança e Adolescente.

“Com relação à suposta violação de sigilo profissional, já foi solicitada a apuração à Autoridade Policial, bem como o fato, conforme já noticiado publicamente, será apurado nas esferas dos órgãos profissionais. Outras medidas eventualmente adotadas pela Promotoria de Justiça, se o caso, observarão o sigilo que a matéria requer”, diz a nota.