Notícias

TSE dá 15 dias para que Bolsonaro comprove acusações sobre irregularidades na urna eletrônica

Magistrados querem frear acusações sem provas do presidente acusações sobre fraudes no sistema eleitoral

Mônica Bergamo, com BandNews TV 23/06/2021 • 11:58 - Atualizado em 23/06/2021 • 19:23

O Tribunal Superior Eleitoral subiu o tom contra Jair Bolsonaro. Em sua coluna “No Radar”, no BandNews TV, a jornalista Mônica Bergamo explica que o corregedor-geral do TSE Luiz Felipe Salomão deu 15 dias ao presidente para que apresente provas sobre as acusações sobre o sistema eletrônico nas eleições de 2018, que começam a contar a partir da última segunda (21).

A medida tem amplo apoio de ministros do TSE e do STF. Inclusive, eles pontuam que Bolsonaro poderia ficar inelegível em 2022 caso seja comprovado que ele esteja alimentando informações falsas contra as instituições e sobre o pleito.

Bolsonaro diz que fraudes no sistema impediram que ele ganhasse a eleição presidencial em primeiro turno em 2018, mas nunca apresentou uma prova concreta da suposta fraude ou violação. Recentemente, ele voltou a fazer tais acusações em público, em conversa com apoiadores.

Segundo a apuração de Bergamo, a intenção dos magistrados é colocar “travas” no comportamento do presidente e evitar que ele espalhe falsas notícias sobre o sistema eleitoral brasileiro, além de mostrar limites que ele não poderia ultrapassar sob a possibilidade de enfrentar problemas mais sérios na Justiça.

A campanha da chapa Bolsonaro-Mourão é alvo de investigação no TSE sob a suspeita de que empresas contratadas para a campanha teriam disparado notícias e informações falsas em massa em redes sociais.

  • bolsonaro
  • eleições 2018
  • tse
  • urnas eletrônicas