Olhar de Repórter

Olhar de Repórter: Cracolândia leva insegurança aos comerciantes e moradores

O programa Olhar de Repórter deste sábado (4) mostrou o aumento do medo entre moradores e comerciantes do centro da capital paulista

Da Redação, com Olhar de Repórter 04/06/2022 • 11:19 - Atualizado em 04/06/2022 • 12:22

O programa Olhar de Repórter deste sábado (4) mostrou que o aumento do clima de insegurança e o medo na região em que está localizada a Cracolândia, na capital paulista, faz com que os moradores já comecem a pensar em deixar o local, assim como os comerciantes, que já cogitam fechar seus pequenos negócios.

O subprefeito da Sé, Marcelo Vieira Salles esteve no estúdio e falou sobre a complexidade da administração da região central. Ele disse sobre a mudança do fluxo dos usuários da Cracolândia, a alternativa da internação compulsória, a insegurança no entorno, a necessidade de um trabalho em conjunto entre segurança pública, saúde e assistência social para minimizar o problema, além de destacar os principais pontos sobre a requalificação urbana do centro.

Aumento nos assaltos na região central

O repórter Lucas Jozino mostrou o levantamento feito pela Rádio Bandeirantes sobre o aumento do número de assaltos na região central, com base em dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública. Nos primeiros quatro meses do ano, 8.254 pessoas foram vítimas de assaltos, o que significa 68 casos por dia.

Taxas Ambientais em Guarulhos (SP)

A cidade de Guarulhos (SP) implantou a cobrança de duas novas taxas ambientais. A primeira, é a taxa que será calculada pelo consumo de água e revertida para o pagamento da coleta de lixo. A segunda taxa, que começa a vigorar em janeiro do ano que vem, será calculada em cima do peso das aeronaves que usam o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Adote uma praça

A prefeitura de São Paulo investe em tecnologia para agilizar o processo de adoção de praças públicas na capital paulista. Agora, com o lançamento do novo site, o processo de adoção, que antes levava 120 dias, pode ser realizado em apenas dez dias. Tanta pessoa jurídica quanto pessoa física pode participar do processo. O objetivo é estimular a adoção das mais de quatro mil áreas públicas disponíveis na cidade.