Olhar de Repórter

Prefeito de São Paulo defende estratégia de dispersão na Cracolândia

Ricardo Nunes contou como tem sido lidar com a movimentação dos usuários e as estratégias dos traficantes

Da redação 21/05/2022 • 16:09 - Atualizado em 21/05/2022 • 16:16

Um dos temas da semana nos noticiários foi a movimentação da cracolândia em São Paulo. O Olhar de Repórter mostrou um breve histórico da movimentação do grupo de usuários. 

A migração dos pequenos grupos, que após saírem da praça princesa Isabel, dispersaram-se entre diferentes pontos da região central. O maior grupo está na esquina da São João com Dr. Frederico Steidel. 

Segundo o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, os criminosos se aproveitam do volume de pessoas para evitar as ações do estado. “Quando você tem um volume grande de pessoas concentradas, os traficantes eles usam as pessoas, os usuários como escudo. E aí você não consegue ter acesso tanto com o serviço social e da saúde para abordar. E também da polícia para prender esses bandidos” disse. 

Nunes contou como foi o trabalho para oferecer tratamento aos usuários: “Uma das questões que fomos fazendo foi constituir um grupo de trabalho forte entre assistência social, saúde e direitos humanos GCM e polícia. Qual foi a estratégia: tirar aquela aglomeração, porque precisava espalhar para poder quebrar aquela barreira e as forças do estado entrarem ali e convencê-las a buscar o tratamento” disse o prefeito. 

PROGRAMA DE METAS

O Olhar de Repórter recebeu a secretária executiva de planejamento e entregas prioritárias, Vivian Satiro, que ela explicou o passo a passo da administração municipal sobre o desenvolvimento das 77 metas estabelecidas no programa. 

“O programa de metas é uma obrigação em são Paulo desde 2008. E desde lá ele passa a fazer parte da lei orgânica do município. Ele se propõe a apresentar as metas para os quatro anos da gestão e ele é o direcionador dos instrumentos de planejamento para a gestão. Ele é esse norteador para que o prefeito destine cada investimento para o lugar certo”, concluiu.

Questionada se o plano de metas seria parte das promessas de campanha, ela esclareceu que na verdade ele serve para tornar os planos de governo em algo mais concreto. 

“A ideia do plano de metas é que ele vincule as promessas de campanha, o plano de governo, que não tem nenhuma sanção jurídica em um plano mais concreto, para o cumprimento das metas ao longo de uma gestão” finalizou.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

A prefeitura de São Paulo criou uma secretaria especial para tratar das questões das mudanças climáticas. Marco Antônio sabino entrevistou o Secretário executivo da pasta, Antônio Pinheiro Pedro.

O secretário falou do Panclima – plano municipal de mudanças climáticas. Entre os principais pontos abordados estiveram: poluição, situação dos mananciais, a possível falta da água e plano de arborização.