Notícias

Oposição quer convocação do presidente da Caixa após denúncias de assédio sexual

Denúncias destacam relatos de mulheres contra Pedro Guimarães sobre assédios cometidos em viagens de trabalho

Da redação 29/06/2022 • 09:21 - Atualizado em 29/06/2022 • 09:59
Pedro Guimarães, presidente da Caixa, foi denunciado por assédio sexual
Pedro Guimarães, presidente da Caixa, foi denunciado por assédio sexual
Marcos Corrêa/Presidência

A oposição ao governo no Senado protocolou um pedido de convocação do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, para prestar informações sobre denúncias de assédio sexual sofrida por funcionárias do banco. O documento foi apresentado à Comissão de Direitos Humanos (CDH) nesta quarta-feira (29).

O requerimento foi protocolado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado. As denúncias que chegaram ao Ministério Público Federal (MPF) e Ouvidoria da Caixa foram reveladas pelo portal Metrópoles.

As denúncias destacam relatos de mulheres sobre momentos de assédio durante o trabalho. Para a oposição, a convocação de Pedro Guimarães é fundamental para a proteção de funcionárias da Caixa.

As vítimas teriam contado que os assédios aconteciam, principalmente, durante viagens do programa Caixa Mais Brasil, criado por Guimarães para descentralizar a gestão. Desde janeiro de 2019, foram feitas mais de 140 viagens.

O governo federal estaria recebendo pressão por parte do Congresso para tirar Pedro Guimarães do cargo, mas até agora nenhuma atitude foi anunciada.

“Será fundamental, para a proteção das mulheres trabalhadoras da Caixa Econômica Federal, que até então nunca havia passado por escândalo semelhante em seus 161 anos de existência”, argumentou Randolfe no documento.

O requerimento ainda será votado em uma reunião da CDH. Se aprovado, o presidente da Caixa terá que comparecer à comissão para prestar esclarecimentos.

Nota da Caixa

Ainda na última terça-feira (28), a Caixa divulgou nota em que disse não ter conhecimento das denúncias. O banco informou que adota medidas contra condutas relacionadas a qualquer tipo de assédio.

A Caixa não tem conhecimento das denúncias apresentadas pelo veículo. A Caixa esclarece que adota medidas de eliminação de condutas relacionadas a qualquer tipo de assédio. O banco possui um sólido sistema de integridade, ancorado na observância dos diversos protocolos de prevenção, ao Código de Ética e ao de Conduta, que vedam a prática de ‘qualquer tipo de assédio, mediante conduta verbal ou física de humilhação, coação ou ameaça’. 

A Caixa possui, ainda, canal de denúncias, por meio do qual são apuradas quaisquer supostas irregularidades atribuídas à conduta de qualquer empregado, independente da função hierárquica, que garante o anonimato, o sigilo e o correto processamento das denúncias. Ademais, todo empregado do banco participa da ação educacional sobre Ética e Conduta na Caixa, da reunião anual sobre Código de Ética na sua Unidade, bem como deve assinar o Termo de Ciência de Ética, por meio dos canais internos. 

A Caixa possui, ainda, a cartilha ‘Promovendo um Ambiente de Trabalho Saudável’, que visa contribuir para a prevenção do assédio de forma ampla, com conteúdo informativo sobre esse tipo de prática, auxiliando na conscientização, reflexão, prevenção e promoção de um ambiente de trabalho saudável.