Notícias

"Organizador profissional" faz sucesso na pandemia durante home office

Serviço do "personal organizer" ganhou adeptos e pode custar entre R$ 100 e R$ 350 a hora

Pedro Pannunzio, do Band Notícias 19/07/2021 • 22:45 - Atualizado em 19/07/2021 • 23:22

Quanto mais tempo em casa, mais bagunça. Para organizar, que tal chamar um profissional? O serviço teve alta na procura no último ano – e paga bem para o organizador.

Dizem por aí que o brasileiro “se vira nos 30”. Mas alguns resolveram pagar outras pessoas para fazer isso por eles. Entra em cena a figura do personal organizer (organizador pessoal, na tradução) - um profissional em organização que ajeita desde roupas no armário, até as panelas da cozinha.

“O meu tempo é outro. Eu sou uma mulher de negócios. Então, outra pessoa faz aquilo e eu procuro ganhar dinheiro”, justifica a empresária Edna Queiroz, que contratou o serviço.

O tempo de Fernanda Yume não é barato. A hora dela pode variar entre R$ 100 e R$ 200. O serviço, bem restrito, passou a ser mais procurado durante a pandemia.

“As pessoas ficaram mais em home office e sobrecarregou as empregadas domésticas. A organização mantém a qualidade de vida, o bem-estar”, diz a personal organizer.

Algumas profissionais cobram ainda mais caro. A hora de Mylena Abujamara chega a R$ 350 reais. Tudo para montar um sistema de organização individualizado.

“Essas roupas do dia a dia, dando esse exemplo do guarda-roupa, tem que ter acesso facilitado para a vida para que aquela pessoa leva”, pontua.

A organização ou a falta dela, é bastante particular. 

Tem pessoas que são mais organizadas, que precisam disso, tem a necessidade maior de organização e tem gente que não se incomoda com a desorganização. E aí ela consegue lidar com isso, se acha inclusive na desorganização”, analisa a psicóloga Ana Gabriela Andriani.

Porém, um dos grandes desafios das pessoas mais organizadas que contratarem uma profissional é manter a arrumação depois que o trabalho for concluído.

“Depois a gente tem que rezar bastante para que as coisas se mantenham”, brinca a empresária após a visita da organizadora profissional.

  • personal organizer
  • pandemia