Notícias

Osmar Terra diz que Carlos Bolsonaro participava de reuniões ministeriais, mas nega gabinete paralelo

Deputado afirma que as decisões do presidente saem da "cabeça dele"

Da redação com BandNews TV 22/06/2021 • 14:33

O deputado Osmar Terra, suspeito de integrar o chamado gabinete paralelo, disse à CPI da Pandemia que não existe esse assessoramento.

"Não existe esse gabinete, esse gabinete é uma ficção. Se assessores do presidente lhe dão alguma recomendação, algum conselho, isso é natural. Todos os presidentes se aconselham com alguém", justificou ele.

Terra afirmou que as decisões tomadas pelo governo federal na gestão da pandemia são de responsabilidade de Bolsonaro e que tem apenas encontros eventuais com o presidente.  

"A primeira vez que eu ouvi o termo quarentena vertical foi da boca do presidente. Ele cunhou esse termo. É da cabeça dele, ele tem uma visão que quarentena e lockdown não funciona", explicou o deputado.

Ele também contou que teve apenas encontros casuais com outros membros do suposto gabinete paralelo, como Arthur Weintraub, Nise Yamaguchi, Carlos Wizard, Paolo Zanotto e Luciano Dias Azevedo.

O deputado revelou que encontrou o vereador da cidade do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, em reuniões ministeriais e no gabinete do presidente, mas disse que não tem relação com o filho do presidente.

"Eu nunca conversei com o Carlos Bolsonaro. Eu cumprimento ele quando ele está no gabinete do presidente ou quando ele ia em uma reunião de ministérios", afirmou.

  • CPI da Pandemia