Notícias

"Preço da gasolina nas refinarias no Brasil é menor que a média mundial", diz especialista

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Nélio Wanderley falou sobre as novas altas nos combustíveis

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 17/04/2021 • 14:20 - Atualizado em 17/04/2021 • 14:23

Nélio Wanderley, diretor comercial da Posto Seguro Brasil, empresa de assessoria a postos de combustíveis, falou à Rádio Bandeirantes sobre o novo reajuste dos combustíveis, que começou a valer nesta sexta-feira (16).

Segundo a Petrobras, o diesel fica 3,7% mais caro e a gasolina 1,9%. O repasse ao consumidor na bomba, no entanto, vai depender de cada posto.

No comparativo com o mês de dezembro de 2020, o diesel passou de R$ 2,66 para R$ 2,76. Já a gasolina, que subiu 43% em 2021, passou para R$ 2,64.

Essa é a sétima alta da gasolina e a sexta do diesel apenas neste ano nas refinarias, o que não significa que o Brasil já seja um dos campeões mundiais quando o assunto é o preço.

“O preço no Brasil se compara ao dos países do Golfo, já que a maioria da importação vem de lá. Hoje, neste momento, a paridade do diesel é neutra, equivalente, porém a gasolina tem uma diferença de dez centavos. A gasolina está mais barata aqui que no exterior. Mas este é o preço de refinaria”, disse Nélio Wanderley.

“A preço de bomba o Brasil está entre os 50 países de uma lista de 160. Não é o menor preço e nem o maior. Os maiores são Hong Kong e países da Europa. O mais barato é na Venezuela, Arábia Saudita e outros grandes produtores”, completou.  

O especialista também falou se a carga tributária no Brasil é desproporcional. “Este é o grande vilão da história. A carga e a complexidade como se calcula”, apontou.  

Confira a íntegra da entrevista no vídeo acima! 

  • diesel
  • gasolina
  • rádio bandeirantes