Notícias

Prévia da inflação em agosto atinge maior taxa para o mês desde 2002

Eletricidade e a gasolina, somadas, foram responsáveis por um terço da inflação mensal, segundo o IPCA-15

Isabele Rangel, da BandNews FM 25/08/2021 • 13:40 - Atualizado em 25/08/2021 • 16:22
Prévia da inflação em agosto atinge maior taxa para o mês desde 2002
Prévia da inflação em agosto atinge maior taxa para o mês desde 2002
Reprodução

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, prévia da inflação oficial medida pelo IBGE, ficou 0,89% em agosto e atingiu a maior taxa para o mês desde 2002.

No ano, a alta acumulada é de 5,81%, acima do centro da meta da inflação estipulada pelo Conselho Monetário Nacional, de 3,75%, e ultrapassando, inclusive, a margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual. Nos últimos 12 meses, o indicador já alcança 9,30%.

A taxa de agosto foi puxada principalmente pelo aumento da energia elétrica, que teve elevação de 5%. No contexto da crise hídrica, a bandeira tarifária vermelha patamar 2 vigorou nos meses de julho e agosto. Além disso, a partir de 1º de julho, houve reajuste de 52% no valor adicional da bandeira. Reajustes tarifários em São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e Belém também explicam o resultado.

Outro ponto relevante para a alta da taxa foi o aumento do preço da gasolina, que subiu mais de 39% ao longo de 12 meses. Alguns estados registram preço do litro do combustível acima de R$ 7,00.

Eletricidade e a gasolina, somadas, foram responsáveis por um terço da inflação mensal.

Com isso, o grupo habitação ficou com a maior alta no mês: 1,97%. Além da energia elétrica, o grupo habitação foi influenciado pelos aumentos nos preços do gás de botijão e do gás encanado.

A segunda maior contribuição para o IPCA-15 de agosto veio dos transportes, seguida por alimentação e bebidas. A única queda foi em saúde e cuidados pessoais.

Paulo Guedes divulga a arrecadação tributária; assista