Primeiro Jornal

Após testar positivo para covid, bebê de 1 ano morre à espera de transferência

O menino foi internado na unidade hospitalar municipal no último dia 18 depois de testar positivo para Covid-19

Amanda Martins 26/01/2022 • 08:43

O bebê Gael Souza, de 1 ano, morreu na segunda-feira (24) à espera de uma transferência no hospital municipal Albert Schweitzer, no Rio de Janeiro. 

No último dia 04 a criança começou a apresentar febre. Ele foi diagnosticado com gastroenterite, infecção urinária e virose. O menino foi internado na unidade hospitalar municipal no último dia 18 depois de testar positivo para Covid-19

Um documento do hospital diz que o garoto estava com suspeita de leucemia e precisava de uma transferência para um leito de UTI, com um hematologista. 

“Na quinta-feira, a médica chegou dizendo que ele precisava de uma transferência para um hospital que tivesse CTI com um hematologista. Ele conseguiu a ordem judicial, mas nada fizeram. No sábado jogaram no sistema que ele precisava da vaga e ele estava apto a transferência. No domingo quando chegamos para conseguir a transferência já disseram que eles não poderiam transferi-lo, pois corria risco de vida”, conta Paloma Diniz, madrinha de Gael. 

Segundo a secretaria municipal de Saúde, o bebê não foi hospitalizado nas primeiras consultas porque apresentava sintomas leves, que não exigiam internação. A direção do hospital informou que Gael foi inserido no sistema de regulação estadual no último sábado, mas que os médicos não recomendaram a transferência porque o estado de saúde do bebê era delicado. 

Já a secretaria estadual de Saúde informou que inicialmente recebeu solicitação de leito apenas para quadro de síndrome respiratória grave, que é regulado para o município, e que somente na noite de sábado soube que a transferência seria para um leito hematológico, de responsabilidade do estado. 

O menino foi enterrado nesta terça-feira (25) no cemitério Jardim da Saudade, na zona oeste do Rio de Janeiro. “Meu filho ficou seis dias no hospital e eles conseguiram acabar com a vida dele. Ele entrou bem, andando, brincando e correndo e saiu desse jeito”, disse o pai de Gael, Robson Luiz.