Notícias

Caso Gael: Anel pode ser prova contra mãe como indício de maus-tratos

Marcas na testa de Gael seriam da joia, o que indicaria que Andréia era a autora das agressões contra o filho

Da Redação, com Primeiro Jornal 12/05/2021 • 07:41 - Atualizado em 12/05/2021 • 11:09

A Polícia afirmou que há fortes indícios de que Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, era vítima de maus-tratos. Um anel usado por Andréia Freitas foi apreendido e pode ser uma prova importante contra ela, suspeita pela morte do filho no apartamento da família, em São Paulo, e com prisão preventiva decretada

O delegado Roberto Monteiro que as marcas encontradas na testa de Gael são oriundas desse anel, o que indicaria que Andréia era a autora das agressões contra o filho. 

Médicos encontraram pequenos arranhões no corpo da mãe, o que mostra uma tentativa de defesa do filho. Ela tinha ainda as mãos avermelhadas e inchadas – mais indícios das agressões contra a criança. 

Chamou a atenção dos investigadores o fato de que o menino dormia em um quarto sem móveis, sobre um colchão no chão. Não havia brinquedos no cômodo – encontrados em um saco de lixo na área de serviço. 

Pai acredita que mãe matou o garoto; assista

No boletim de ocorrência, a tia-avó de Gael, Maria Nanete de Freitas, disse que Andréia não passava por nenhum tratamento psiquiátrico atualmente, mas que já havia sido internada por quatro vezes. 

Ela relatou que deu mamadeira para Gael por volta das 7h da segunda (10) e depois ouviu choros, mas achou que o garoto pedia colo para a mãe. 

Poucos minutos depois, ela disse ter ouvido ter ouvido barulhos fortes de batida, mas achou que vinham de outro apartamento. 

Depois de 10 minutos, ouviu barulho de vidro quebrando na cozinha e foi até o cômodo, onde se deparou com a criança desacordada no chão, coberta com uma toalha de mesa. Havia vômito espalhado pelo cômodo.

Ao perguntar para Andréia o que tinha ocorrido, a mulher não respondeu e se trancou no banheiro. Gael foi socorrido, mas não resistiu. 

Defesa diz que mãe de Gael relatou “apagão” e não sabia de morte

A defesa de Andréia Freitas, mãe do menino Gael, disse que ela lembra de estar sozinha com os dois filhos. Ele também confirmou que a suspeita tem histórico de internações psiquiátricas. Em entrevista à BandNews FM, o advogado Fábio Costa disse que ela relatou ter tido um “apagão”.  

Segundo Costa, a mãe de Gael disse que foi tomar banho e passou mal, momento em que deitou no chão do banheiro e perdeu a consciência. 

O advogado disse também que o apartamento teria sido arrombado com o aval do proprietário e que Andréia relatou ter retomado a consciência quando foi encontrada. Fábio Costa também disse que Andréia foi levada para delegacia sem saber que o filho tinha morrido. Andréia foi presa em flagrante por homicídio qualificado.

  • caso gael
  • polícia
  • andréia freitas