Notícias

Queiroga despista sobre fim do uso de máscaras: 'Vai ser nosso caso'

Ministro da Saúde disse que não é censor da fala do presidente da República

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 11/06/2021 • 13:51
Ministro da Saúde disse que não é censor da fala do presidente da República
Ministro da Saúde disse que não é censor da fala do presidente da República
Alan Santos/PR

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, evitou contrariar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a eventual liberação do uso obrigatório de máscaras de proteção contra a Covid-19. As informações são de Lucas Jozino, da Rádio Bandeirantes.

A posição foi adotada nesta sexta-feira (11) em São Paulo, durante a inauguração de leitos no Hospital Municipal de Guarapiranga.

“O nosso presidente da República solicitou que fizéssemos estudos. O presidente tem acompanhado o ritmo da velocidade de vacinação no Brasil e no mundo. Em países que alcançaram a cobertura vacinal ampla já assistimos à flexibilização do uso de máscara”, explicou.

“Vai ser o nosso caso, e nós estamos estudando para ter posições sólidas e nos anteciparmos em relação a todas as medidas que devem ser colocadas no enfrentamento à pandemia da Covid-19.”

 Ao ser questionado pelos jornalistas sobre a declaração feita por Bolsonaro, atribuindo a decisão a prefeitos e governadores, o ministro da Saúde disse que não é censor da fala do presidente da República. 

  • Covid-19
  • Marcelo Queiroga