Notícias

Reino Unido: Rússia pode sofrer “sérias consequências” se interferir na Ucrânia

Governo britânico avalia que Moscou planeja a queda do atual presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Da Redação, com BandNews TV 23/01/2022 • 12:39 - Atualizado em 23/01/2022 • 12:59

O vice-primeiro-ministro do Reino Unido, Dominic Raab, disse que a Rússia vai sofrer sérias consequências econômicas se estabelecer um governo pró-Kremlin na Ucrânia.

A afirmação foi dada durante entrevista à rede de TV Sky News. O governo britânico avalia que Moscou planeja a queda do atual presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em prol de Yevhen Muraiev, um opositor favorável à Rússia.

Muraiev, um ex-deputado, é pré-candidato à presidência, mas as eleições só vão acontecer em 2024.

O setor de inteligência do Reino Unido ainda alegou que os russos estiveram em contato com outros políticos ucranianos como parte dos supostos planos de invasão ao país vizinho.

O governo de Vladimir Putin negou qualquer tentativa do tipo e chamou as declarações de desinformação.

Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se reuniu com a equipe de segurança nacional para discutir a escalada de tensões na Ucrânia.

Segundo a Casa Branca, Biden recebeu no sábado atualizações sobre a situação no Leste Europeu e as “contínuas ações da Rússia perante a Ucrânia”.

 As discussões envolveram não apenas as operações militares russas perto da fronteira com o país vizinho, mas também os esforços dos americanos e aliados para diminuir as tensões na região.

Joe Biden passa o fim de semana em Camp David, casa de campo da Presidência dos Estados Unidos.