Notícias

Senadores ironizam defesa de protocolo sanitário feita por Flávio Bolsonaro

Filho do presidente se indignou com possíveis sessões presenciais da CPI

Da redação com BandNews TV 27/04/2021 • 17:17

Antes da votação que elegeu Omar Aziz (PSD-AM) como presidente da CPI, alguns senadores defenderam que a comissão não deveria ser instaurada nesse momento. Entre os defensores do adiamento estava Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente da República.

"Por que não esperar todo mundo se vacinar e fazer com responsabilidade esses trabalhos? Essa insistência em abrir a CPI agora, atropelando todos os protocolos, ignorando a questão sanitária, alguém vai ser responsabilizado em algum momento", afirmou Flávio Bolsonaro.

Essa insistência em abrir a CPI agora, atropelando todos os protocolos, ignorando a questão sanitária, alguém vai ser responsabilizado em algum momento

Ele criticou o presidente do Senado por atender decisão do Supremo que pediu a instalação da CPI: "O presidente Rodrigo Pacheco está errando, está sendo irresponsável, porque está assumindo a possibilidade de durante os trabalhos dessa CPI acontecerem mortes de senadores, mortes de assessores, mortes de funcionários aqui dessa Casa em função da Covid".  

A defesa veemente dos protocolos sanitários por Flávio Bolsonaro foi recebida com surpresa por alguns de seus colegas.

"O filho do presidente falou sobre aglomeração. Em primeiro lugar é muito importante comemorar. Será que ele deixou de lado o negacionismo e agora está contra a aglomeração? Será que ele melhorou ou o exemplo do governo continua sendo aquele do Pazuello ontem num shopping de Manaus(o ex-ministro da Saúde foi flagrado andando sem máscara no ambiente fechado)? É bom que ele evolua nessa direção, na direção da ciência, na direção do interesse fundamental do Brasil", questionou Renan Calheiros (MDB-AL).

O filho do presidente falou sobre aglomeração. Em primeiro lugar é muito importante comemorar. Será que ele deixou de lado o negacionismo e agora está contra a aglomeração?

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também citou com ironia o discurso do filho do presidente: "Eu saúdo a conversão de alguns membros do governo à ciência porque para a CPI eles estão defendendo ficar em casa, isolamento, medidas sanitárias. Que bom. Se o Brasil tivesse adotado isso desde março quando o vírus chegou por aqui, eu acredito que nós teríamos um número bem menor de mortos. A pandemia estaria sob controle".

Eu saúdo a conversão de alguns membros do governo à ciência porque para a CPI eles estão defendendo ficar em casa, isolamento, medidas sanitárias

Flávio Bolsonaro ainda questionou qual seria a efetividade da comissão na melhora da situação atual da pandemia. "Quantas vacinas essa CPI vai aplicar no braço da população? Nenhuma. O momento é inoportuno", perguntou.

Tanto Renan, quanto Randolfe, dizem que entre as funções da CPI está o destravamento da vacinação e a ajuda na aquisição de imunizantes e insumos. 

  • CPI da Covid