Esporte

Abel diz que 'vento está forte' com saídas no Palmeiras: "Vendas estão fechadas"

Treinador comentou sobre as mudanças no elenco após a vitória sobre o Vasco

Da redação

Abel diz que 'vento está forte' com saídas no Palmeiras: "Vendas estão fechadas"
Cesar Greco/Palmeiras

Abel Ferreira fez uma analogia para falar sobre as mudanças no elenco do Palmeiras depois da vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, nesta quinta-feira (13), pelo Brasileirão.

O treinador disse que o “vento está forte”, mas é preciso ajustar as velas para a caravela seguir. Ele fez essa comparação para falar de saídas, como de Endrick, Luis Guilherme e Luan, e a reformulação “forçada” no Verdão.

“É um momento que o vento está forte em direção à nossa caravela, está um vento forte, e a gente tem que ajustar as velas, não é nada de novo. A gente já sabia que perderíamos alguns jogadores para seleções, sinceramente não esperava perder tantos jogadores por vendas. Já sabíamos que o Endrick ia sair e isso poderia tirar um foco. É verdade as vendas, o Endrick, agora o Luis, o Estêvão que está pronto. A moeda europeia é forte, é difícil competir contra eles. Eu também entendo eles. Tem as possíveis chegadas de jogadores, que eu só gostaria de falar quando eles chegarem. Tem o Felipe [Anderson], que vocês sabem. É verdade que alguns jogadores baixaram um pouquinho o rendimento, que é normal e natural numa equipe tão vencedora, com uma exigência tão alta”, iniciou o treinador.

Em seguida, Abel Ferreira disse que o Palmeiras “já vendeu muito” e ele pediu um “basta” sobre saídas.

“Vendas estão fechadas. Quem vai entrar, está fechado. Presidentes ou empresários que ligarem para os jogadores do Palmeiras, esqueçam. Os jogadores já levaram o recado a todos os representantes deles. Ninguém sai. A não ser que paguem a cláusula, como foi com o Luan, eu não posso fazer nada. Se pagarem a cláusula, do treinador ou dos jogadores, podem seguir. Senão, vamos continuar todos aqui. Foi um período difícil. Esqueçam, o que era para ser vendido foi vendido. Vamos precisar de novos marinheiros e seguir. Já fizemos muito dinheiro em muitas vendas, acho que chega”, disse.

Outras respostas de Abel Ferreira

Procura por jogadores do Palmeiras

Tem muitos clubes da Europa, alguns de Portugal, inclusive, alguns dirigentes a ligar para nossos jogadores. Mas nós não podemos ficar sem os nossos jogadores. Fico feliz com o Piquerez hoje, acho que fez bem essa ‘nega’ que o selecionador lhe deu, mas está aí, um grande lateral-esquerdo. Eu não posso deixar sair mais jogadores. O vento começa a soprar, mas o capitão tem que dizer para onde temos que ir. É ajustar as expectativas dos nossos jogadores e fazer aquilo que sabemos fazer, que é a jogar futebol.

Dudu não estava 100% para jogar

Dudu está aqui com a gente hoje, eu falei com ele há dois dias, ontem falamos, hoje também. Ele não se sente 100% confortável, tinha feitos jogos-treinos muito bom, e hoje de manhã tivemos uma conversa. Ele me disse: “Professor, estou disponível, não estou confortável para jogar, mas queria ir com a equipe”. Eu falei que ele é um dos nossos capitães, referências, e eu quis que ele estivesse com o grupo. É sempre bom vê-lo no banco, o carinho da torcida. Pode ter certeza que o que eu mais quero é que ele volte bem, com confiança, crescendo.

Elogios a Zé Rafael

O que eu posso dizer do Zé? Já o chamei de tudo. Comboio, trem, Robocoop. Já jogou de 8, de 11, no ano passado quando o clube não conseguiu nenhum 5 e ele jogou. Vocês têm que entender, o Aníbal chegou um ano atrasado, mas às vezes os negócios não saem quando nós queremos.

Competitividade no elenco

Eu vou dizer uma coisa que eu penso. Ser jogador no Brasil, seja ele brasileiro ou estrangeiro... É um campeonato difícil, exigente. Estar todos os anos os jogadores em nota 10 é impossível. Nem CR7 consegue fazer, nem Messi, nem Guardiola, quanto mais o Abel, o Zé, o Veiga. Eu, como líder dessa equipe, entendo que há momentos que os jogadores não estão tão bem e a gente tem que ajudar. Meu sonho como treinador é ter dois jogadores do mesmo nível disputando a mesma posição. É ter o Zé o Ríos e disputar posição, ter o Veiga e outro jogador. Esse é meu sonho, ter uma competição feroz. Como foi com os atacantes, com López, Endrick e Rony.

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais