Pacientes com câncer são prejudicados após a suspensão da produção de remédios para o tratamento da doença por parte do IPEN

Maju Arruda Leite, da Redação 28/10/2021 • 14:06
Comprimidos para o tratamento
Comprimidos para o tratamento
Jornal de Brasília

Milhares de pacientes com câncer foram prejudicados após a suspensão da produção de remédios para o tratamento da doença por parte do IPEN.

O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, produz cerca de 85% dos radiofármacos disponibilizados no país.

Após um corte de 46% do orçamento de 2021, o órgão teve que paralisar a produção dos medicamentos por dez dias em setembro por falta de verba federal.

Mesmo depois do governo ter liberado 82 milhões de reais para garantir a produção até o fim do ano, o impacto da paralisação dos trabalhos ainda afeta a vida dos pacientes.

Pessoas que precisam do iodo para o tratamento do câncer da tireoide, assim com a Regiane, sofrem com o desabastecimento do insumo nos hospitais e clínicas no país.

O diretor da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, Gustavo do Vale Gomes, afirma que a distribuição do medicamento será retomada na terceira semana de novembro.

No último dia 18, o IPEN paralisou a produção do gerador de tecnécio por causa dos prazos com os produtores internacionais para o envio de insumos.

De acordo com o órgão, a distribuição do medicamento utilizado para o diagnóstico do câncer deverá ser normalizada no mês que vem.


 

  • cancer
  • tratamento
  • remedios
  • pacientes