Band Rio

Ação da Polícia Civil prendeu milicianos de grupo de extermínio

A ação aconteceu em Nova Iguaçu. Milicianos tem ligação com Bonde do Tandera

Thales Teixeira (Sob supervisão de Natashi Franco) 30/11/2021 • 15:23
Eles ocupam posição de destaque na narcomilícia comandada por "Tandera"
Eles ocupam posição de destaque na narcomilícia comandada por "Tandera"
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Uma operação da Polícia Civil, nesta terça-feira (30), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, prendeu, em flagrante, por porte de arma de fogo, dois milicianos ligados a Danilo Dias Lima, o “Tandera”.

Adriano Oliveira Ferreira, vulgo “Inseto”, de 45 anos, e Edson de Alcântara Vieira, vulgo “Kiko”, de 47 anos, são suspeitos de integrarem um grupo de extermínio da narcomilícia.

“Inseto e Kiko ocupam uma posição de destaque na organização criminosa capitaneado por Tandera, liderando um grupo de extermínio responsável pela maioria dos assassinatos de desafetos e rivais”, afirmou o delegado Marcus Amim, titular da DRE.

Eles são integrantes da narcomilícia chefiada por “Tandera” e são apontados pela polícia como responsáveis por dezenas de homicídios na região da Baixada Fluminense e Santa Cruz, na Zona Oeste.

Os homens foram levados para a sede da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio.

Uma apreensão, que também aconteceu neste mês, envolvendo o Bonde do Tandera, chamou a atenção. Um jacaré foi encontrado e apreendido na casa de Delson Lima Neto, o “Delsinho”, que é irmão de “Tandera”. De acordo com a polícia, o animal seria usado como forma de torturar as vítimas.