Band Rio

Imagens mostram momento do assassinato de Jerominho

A Polícia Civil ainda tenta identificar os autores do crime.

Felipe de Moura* 05/08/2022 • 16:55 - Atualizado em 05/08/2022 • 16:57
Jerominho foi assassinado na tarde de ontem (5)
Jerominho foi assassinado na tarde de ontem (5)
Reprodução

As imagens de uma câmera de segurança registraram o momento do assassinato de Jerômino Guimarães Filho, o Jerominho, na tarde desta quinta-feira (4), em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

No vídeo, é possível ver quando Jerominho e o cunhado saem de um carro branco. Logo depois, um carro da mesma cor para do lado do veículo. Na sequência, três homens saem do carro armados com fuzis e atiram contra os dois, que vão ao chão. Os três criminosos voltam para o veículo e fogem.

Jerominho foi atingido por dois tiros de fuzil, um na perna e outro no tórax. Ele chegou a ser socorrido e levado para um hospital particular, mas não resistiu aos ferimentos. O cunhado dele também foi baleado e segue internado.

A Polícia Civil fez uma perícia no local do crime e recolheu cápsulas de fuzil. Nesta sexta-feira (5), familiares do político foram até o Instituto Médico Legal (IML) para a liberação do corpo. O filho de Jerominho estava acompanhado por seguranças. A polícia investiga as imagens, ainda tenta identificar os autores do crime e acredita que, pelo menos, três criminosos estão envolvidos na morte dele

Três dias antes do ataque, o ex-vereador anunciou apoio a candidatos a deputado estadual e federal em um evento na casa dele. No início do ano, ele chegou a se lançar pré-candidato a deputado federal.

O corpo do ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho será velado neste sábado (6) na capela do Cemitério Jardim da Saudade, em Paciência, na Zona Oeste, de 10h30 até às 13h30.

QUEM É JEROMINHO

Jerônimo foi um dos mais de 220 investigados que tiveram o indiciamento solicitado no relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa do Rio que apurou a atuação das milícias no estado e foi um marco contra o crime organizado no Rio.

Jerominho e o irmão, Natalino Guimarães, que também é apontado como um dos fundadores da “Liga da Justiça”, uma das maiores ficções criminosas do Rio, ficaram presos entre 2007 e 2018.

Em janeiro deste ano, Jerominho voltou a ser preso durante operação da Polícia Civil, acusado de ser responsável por extorsões sofridas por motoristas de van em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. A prisão, no entanto, foi revogada uma semana depois, porque a sentença foi expedida em relação ao mesmo processo em que ele já havia cumprido pena em presídio federal.

Jerônimo Guimarães também foi vereador por dois mandatos pelo PMDB, entre 2000 e 2008.

*Sob supervisão de Natashi Franco