Band Rio

Laudo aponta que não houve tortura nos corpos encontrados no Salgueiro

Projéteis retirados de três corpos passarão por confronto balístico

Thales Teixeira (Sob supervisão) 24/11/2021 • 17:12
Laudos não apontaram tortura
Laudos não apontaram tortura
Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (24), o Instituto Médico Legal emitiu os laudos de necropsia dos nove mortos na operação do BOPE no Complexo do Salgueiro, na região metropolitana do Rio. Os resultados apontaram que não há indícios de tortura.

Será feito ainda um confronto balístico em projéteis retirados de três, dos noves mortos, na ação da polícia.

Segundo a Polícia Civil, cinco, dos nove mortos, tinham passagens pela polícia e, ao menos, seis homens estavam usando roupas camufladas. Um menor de idade, que não tinha passagens criminais, está entre os mortos. Uma foto deste jovem com um fuzil, que foi confirmada pela polícia, está circulando na internet.

Uma das vítimas da operação, identificado como Igor da Costa Coutinho, de 24 anos, é apontado pela Polícia Militar como um dos suspeitos da morte do sargento da PM, no sábado (20), na comunidade do Salgueiro. Ele foi o único que não teve o corpo encontrado no manguezal, segundo a polícia, ele foi socorrido mas morreu a caminho do hospital.

Um pacote de erva prensada e um tubo pequeno com um pó branco foi encontrado com uma das vítimas que estavam na área de mangue. O material será enviado para análise.

Existem três investigações em andamento sobre a operação feita no Complexo do Salgueiro, um procedimento interno aberto pela própria Polícia Militar, uma da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo e outra do Ministério Público.

A Defensoria Pública destacou que a PM não comunicou imediatamente à Polícia Civil e ao Ministério Público sobre as mortes e também não preservou o local para perícia.

Nesta quarta-feira (24), as armas dos oito policiais militares envolvidos na operação do Complexo do Salgueiro foram entregues na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) para passar pelo confronto balístico. Foram oito fuzis entregues. 

Nossa produção apurou com a PM que no dia da operação, em um certo momento, não tinha mais como o BOPE avançar na mata ou localizar possíveis feridos. Entretanto, ainda segundo a polícia, o comando geral e os secretários de Polícia Militar e Civil foram avisados da possibilidade de mortes de bandidos que entraram em confronto com policiais.

Para analisar possíveis abusos por parte dos agentes na comunidade, o Ministério Público informou que solicitou à Delegacia de Homicídios de Niterói, os documentos referentes à investigação.

MORTOS SALGUEIRO:

1º: Carlos Eduardo Curado de Almeida, de 31 anos.

- 3 passagens pela polícia (tráfico, receptação, uso de documento falso, desobediência e ameaça)

- Roupa camuflada.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia)

- Projétil arrecadado

2º: Élio da Silva Araújo, de 52 anos.

- Com passagem pela polícia (respondeu a processo por esbulho possessório, quando possuidor de um bem tem sua posse tomada de forma injusta, seja de forma violenta, seja de forma clandestina ou irregular, mas sem o uso de força)

- Camisa verde escura e short vermelho.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia)

3º: Ítalo George Barbosa de Souza Rossi, de 33 anos.

- 6 passagens pela polícia (porte ilegal de arma de fogo, homicídio qualificado, associação para o tráfico e corrupção ativa)

- Roupa camuflada.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia)

4º: Jonathan Klando Pacheco Sodré, de 28 anos.

- 3 passagens pela polícia (anotações por roubos e tráfico no Pará).

- Evadido do sistema prisional do Pará.

- Roupa camuflada.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia)

5º: Rafael Menezes Alves, de 28 anos.

- Com passagem pela polícia (citado em investigação que apurava tráfico de drogas e corrupção de menores).

- Roupa camuflada.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia).

6º: K. B. G. M., de 17 anos, menor.

- Sem passagem pela polícia.

- Roupa camuflada.

- Corpo coberto com lama. Atingido por arma de fogo (alta energia)

- Projétil arrecadado.

- Foto nas redes sociais com fuzil.

7º: David Wilson Oliveira Antunes, de 23 anos.

- Sem passagem pela polícia.

- Camisa preta e bermuda escura.

- Corpo coberto com lama.

- Atingido por arma de fogo (alta energia).

8º: Douglas Vinicius Medeiros da Silva, de 28 anos.

- Sem passagem pela polícia.

- Roupa camuflada

- Corpo coberto com lama.

- Atingido por arma de fogo (alta energia).

9º: Igor da Costa Coutinho, de 24 anos.

- Sem passagem pela polícia.

- Apontado pela PM como suspeito da morte do sargento.

- Atingido por arma de fogo (alta energia)