Band Rio

Metade dos brasileiros pretendem mudar de emprego em 2022, segundo levantamento

6 em cada 10 jovens buscam a mudança de carreira

Felipe de Moura (sob supervisão de Beatriz Duncan) 24/01/2022 • 18:43
Quase metade dos brasileiros pretender mudar de emprego em 2022, mostra pesquisa
Quase metade dos brasileiros pretender mudar de emprego em 2022, mostra pesquisa
Divulgação/ Prefeitura do Rio

Uma pesquisa desenvolvida pela plataforma Linkedin, em dezembro de 2021, com mais de 1000 profissionais no país, mostrou que cerca de 49% dos brasileiros pretendem mudar de ocupação em 2022. Na faixa dos 16 a 24 anos, a porcentagem é ainda mais alta: 61%. A busca por melhores salários e o desejo de um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal são os principais motivos.

“Final do ano passado, eu comecei a trabalhar em uma empresa muito longe da minha residência, eu sou de Bangu, comecei a trabalhar lá na Barra, o transporte daqui para lá é muito precário e surgiu a oportunidade mudar completamente de área, sair de humanas e ir para a financeira. Pensei e elevei em consideração duas coisas: qualidade de vida e tempo que eu gasto no transporte. Antes eu gastava 4 horas. Hoje, gasto no máximo 20 minutos. Me dedico mais ao estudo e aos meus clientes paralelos. Além disso tudo, a oportunidade salarial foi melhor”, comentou Levi dos Santos, Analista Administrativo.

Um outro levantamento, da mesma plataforma, com dados captados entre janeiro de 2017 e julho de 2021, revelou que as áreas de tecnologia devem ser as principais responsáveis pelas oportunidades do mercado de trabalho brasileiro em 2022.

“A economia voltou a ficar aquecida, mais empresas foram abertas e, como consequência, mais empregos foram oferecidos. Diante das novas possibilidades que estão acontecendo, aumentou essa busca de novos empregos, de buscar trabalhar com o que gosta, com o que sonha. Muita gente já está empregada mas busca novas oportunidades com as possibilidades que o mercado pode oferecer. Com esse bom cenário, o aumento de empreendedores e de empresas abertas, abriram diversas oportunidades”, explica Alexander Costa, especialista em desenvolvimento humano.

A pesquisa levou em consideração dados da rede para identificar os cargos que tiveram a demanda mais alta. A plataforma revelou os 25 empregos de maior procura. Confira a lista completa:

Recrutador(a) especializado(a) em tecnologia

Engenheiro(a) de confiabilidade de sites (Site Reliability Engineer - SRE)

Engenheiro(a) de dados

Especialista em cibersegurança

Representante de desenvolvimento de negócios

Gestor(a) de tráfego

Engenheiro(a) de machine learning

Pesquisador(a) em experiência do usuário

Cientista de dados

Analista de desenvolvimento de sistemas

Engenheiro(a) de robótica

Desenvolvedor(a) Back-end

Gerente de engajamento

Gerente de equipe de produto

Engenheiro de QA (Quality Assurance)

Consultor(a) de gestão de dados

Líder de experiência do cliente

Analista de design

Analista de soluções

Analista de gestão de riscos

Consultor(a) de design de produto

Coordenador(a) de vendas internas

Enfermeiro(a) intensivista

Designer de conteúdo

Instrutor(a) de Agile