Band Rio

Vereador de Duque de Caxias é preso em operação da Polícia Civil

Além do parlamentar, dois policiais militares também foram presos na operação

Thales Teixeira (Sob supervisão) 22/10/2021 • 17:24
Carlinhos da Barreira sendo preso
Carlinhos da Barreira sendo preso
Foto: ALEXANDRE SIQUEIRA - TV BAND

O vereador de Duque de Caxias, Carlos Augusto Pereira Sodré, conhecido como Carlinhos da Barreira, e mais dois policiais militares foram presos na manhã desta sexta-feira (22) na operação "Barreira Petrópolis". O parlamentar e acusado de ser o chefe de uma quadrilha que pratica agiotagem e extorsão. Carlinhos, de acordo com o Ministério Público do Rio, oferecia empréstimos e cobrava juros altos. Os dois PMs entravam em ação ameaçando de forma violenta os devedores que não conseguiam pagar.

"A investigação começou no dia 31 de julho de 2020 porque a vítima compareceu a delegacia e relatou que estava sendo ameaçada de morte porque não estava conseguindo pagar os juros que o vereador estava cobrando. O vereador emprestou R$ 1 milhão com juros de 3,5% ao mês, então a vítima tinha que pagar R$ 35 mil por mês para o vereador. Em março de 2020, a vítima não pôde pagar o valor acordado e aí passou a ser ameaçada de morte", esclareceu o promotor do caso, Rogério Sá Ferreira.

Carlinhos da Barreira também irá responder por lavagem de dinheiro e fraude em licitação. Segundo as investigações, em cinco anos, o vereador movimentou cerca de R$ 70 milhões e recebeu recursos de empresas que tem contrato com a Prefeitura de Duque de Caxias.

"A partir das quebras de sigilo bancário e fiscal, nós constatamos uma movimentação astronômica no valor de R$ 70 milhões nas contas do vereador e de suas empresas. Movimentações essas totalmente incondizentes com a renda formal oriunda da vereância e da atividade empresarial por ele desenvolvido", esclareceu o Delegado João Valentim.

O vereador é sócio da empresa Sodré Serviços de Transporte Locação de Máquinas e Equipamentos. Segundo o Ministério Público, apenas uma empresa com contratos com a Prefeitura repassou R$ 8,5 milhões em cento e nove diferentes operações bancárias para as contas do parlamentar.

A operação cumpriu dezessete mandados de busca e apreensão sendo alguns deles na Câmara Municipal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Este é o terceiro mandato consecutivo de Carlinhos da Baixada, o vereador, inclusive, foi o terceiro mais votado nas eleições de 2020.

  • Vereador Duque de Caxias preso operação Polícia civil