PUBLICIDADE:

Domingo, 13 de novembro de 2011 - 09h00      

A origem do nosso tradicional virado à paulista

Da Redação

programacao@band.com.br

Séculos depois ele continua fazendo sucesso

 

 

A culinária típica de São Paulo é fruto do encontro entre as culturas indígenas e européias, através dos primeiros colonizadores portugueses. Com o passar dos anos influências de outros povos foram juntando novas cores e sabores à culinária paulista. Nos séculos XVI e XVII, diferente das capitanias do litoral nordestino, enriquecidas com a produção do açúcar, a capitania de São Paulo – então chamada de São Vicente - era muito pobre. Para sobreviver os colonizadores portugueses acabaram incorporando os hábitos alimentares e agrícolas dos índios.

 

 

Os principais produtos paulistas, nessa época, eram as farinhas de mandioca, de trigo ou de milho. A farinha de mandioca era o alimento mais consumido pelos bandeirantes. Ela durava bastante e era fácil de acondicionar, portanto adequada para as longas expedições. Como os bandeirantes costumavam plantar feijão, abóbora e milho durante o percurso para comê-los no retorno, a união com as farinhas foi inevitável.

 

O nosso tradicional VIRADO À PAULISTA, a mistura de farinha de milho com feijão, surgiu nessa época, como parte fundamental do “kit de sobrevivência” das viagens. Além do virado, integravam o “kit” o toucinho e a carne seca, alimentos também com um tempo de conservação maior.

 

Hoje o VIRADO À PAULISTA segue presente nos cardápios das casas e restaurantes de São Paulo e da maior parte do Brasil. É praticamente impossível imaginar a vida paulistana sem ele.

ENVIE PARA UM AMIGO

Compartilhe:

Delicious

Yahoo My Web

Google Bookmark

Digg

Windows Live

Reddit

Stumbleupon

Twitter

A A

Tamanho do texto

PUBLICIDADE