Agro

Adidos agrícolas se preparam para a presidência do Brasil no G20

Representantes do Mapa em diversos países participaram do painel sobre os trabalhos do Brasil à frente do grupo

Da redação

O Brasil assume na sexta-feira (1º) a presidência rotativa do G20
O Brasil assume na sexta-feira (1º) a presidência rotativa do G20
Mapa
Topo

Durante a programação do 5º Encontro dos Adidos Agrícolas Brasileiros desta segunda-feira (27) foi realizado um painel sobre a presidência brasileira do G20 mostrando a importância do trabalho dos profissionais para o desenvolvimento das temáticas que serão debatidas pelo grupo das principais economias do mundo neste ano.

O Brasil assume na sexta-feira (1º) a presidência rotativa do G20 e o país será responsável por organizar reuniões técnicas e ministeriais até a 19ª Cúpula do G20, nos dias 18 e 19 de novembro de 2024. Para este ano, foram elencadas como principais pautas o combate à fome, pobreza e desigualdade, as três dimensões do desenvolvimento sustentável e reforma da governança global.

Entre os grupos de trabalho que integram a discussão dos temas principais, está o GT da Agricultura, que conta com a participação dos ministérios da Agricultura e Pecuária (Mapa), do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), da Pesca e Aquicultura (MPA), das Relações Exteriores (MRE) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Diante da importância do GT nas pautas prioritárias da presidência brasileira do G20, o painel destinado aos adidos agrícolas, responsáveis pela representação internacional dos temas relacionados às políticas públicas do setor, contou com a apresentação da chefe de gabinete e do assessor técnico especializado da Secretária de Comércio e Relações Internacionais do Mapa (SCRI), Francieli Covatti e Jean Manfredini, e do diplomata Rafael Gurgel, que atua na coordenação nacional do G20.

O lançamento de uma Aliança Global contra a Fome e a Pobreza e Para a Mobilização Global contra a Mudança do Clima e uma iniciativa sobre a Bioeconomia, a partir da perspectiva brasileira, são algumas das principais ações que envolverão o trabalho do GT Agricultura e contarão com o apoio dos adidos em seus respectivos países de atuação.

Sustentabilidade nos sistemas agroalimentares e a ampliação das relações comerciais internacionais domo ferramenta para a garantia da segurança alimentar serão alguns dos pontos chaves a serem trabalhados pelo grupo.