Notícias

Acusada de participação na facada em Bolsonaro prova inocência na justiça

Mulher era acusada de ter passado a faca para Adélio Bispo

Isabella Alvim* 18/05/2022 • 10:04
Caso aconteceu em Juiz de Fora, em setembro de 2018.
Caso aconteceu em Juiz de Fora, em setembro de 2018.
Reprodução / Redes Sociais

Uma mulher vítima de uma acusação falsa de ter passado a faca para Adélio Bispo, no atentado contra o então candidato à presidência Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora, Zona da Mata, ganha decisão judicial contra o autor de fake news.

Em 2018, a bancária Lívia Terra foi apontada como participante do ataque em uma publicação falsa nas redes sociais. Deste então, ela segue tentando provar a inocência no caso. Por conta do ocorrido, a mulher sofreu ameaças na época. Por isso, ela passou a ter crises de pânico, depressão e ansiedade.

Nas redes sociais, Lívia comenta que foi um verdadeiro show de horrores.  “Muitas mensagens agressivas e ameaçadoras, dois meses sem poder andar pelas ruas desacompanhada, pois os olhares eram muitos e causavam pavor”, afirmou. Em uma reportagem para o Sindicato dos Bancários da Zona da Mata e Sul de Minas (Sintraf JF), onde ocupa o cargo de vice-presidente, a mulher ressalta que a Internet não é terra sem lei e as pessoas precisam pensar no que fazem nas redes sociais.

O homem responsável pelas falsas acusações foi condenado a 10 meses e 20 dias de prisão, que irão se converter em trabalho comunitário, podendo recorrer na justiça. Procurada por nossa redação, a defesa do acusado não se posicionou sobre o caso até o momento.

*Sob supervisão de Laryssa Campos