Notícias

Sindicato dos professores aciona Ministério Público contra Prefeitura de BH

Notificação foi realizada nessa terça-feira

Daniel Abreu* 22/06/2022 • 12:03 - Atualizado em 22/06/2022 • 12:03
Denúncia aponta uma série de problemas para os professores
Denúncia aponta uma série de problemas para os professores
Reprodução / SindREDE

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal (SindREDE) acionou o Ministério Público contra a Prefeitura de Belo Horizonte, nessa terça-feira (21). As denúncias levam em consideração a lotação das salas de aula, profissionais contratados por Recibo de Pagamento Autônomo (RPA), falta de professores em algumas disciplinas, designação errônea das verbas, risco à saúde dos profissionais, como a falta de atualização dos protocolos de segurança contra a Covid-19 nas escolas. Por meio das redes sociais, o sindicato mencionou a postura da PBH como um absurdo. A categoria quer repor, de forma segura, as aulas paralisadas no último mês por conta da greve.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação diz que vem seguindo todas as medidas aplicadas pelo setor da saúde. Sobre a contratação de terceirizados, a justificativa seria férias dos profissionais em julho, fazendo com que as aulas não sejam paralisadas aos alunos que vão repor o conteúdo perdido durante a greve. Ainda segundo a SMED, para garantir os 200 dias de aula, o calendário escolar precisou ser adequado e, atualmente, já estão previstos dez sábados letivos.

*Sob supervisão de Mábila Soares