Notícias

Documento que formaliza vontade de ser doador de órgão já esta disponível

A Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos (AEDO) pode ser feita em qualquer um dos 288 Cartórios de Notas do estado do Rio

Por Giovanna Faria

Doação de órgãos
Doação de órgãos
Divulgação/Ministério da Saúde

Quem deseja ser um doador de órgão já pode formalizar a vontade por meio de um documento oficial digital. A Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos (AEDO) pode ser feita em qualquer um dos 288 Cartórios de Notas do estado do Rio.  

Somente no ano passado, 3 mil pessoas morreram pela falta de doação. Atualmente, mais de 500 crianças aguardam por um novo órgão. No Brasil, a maioria das pessoas na fila única nacional de transplantes aguarda a doação de um rim, seguido por fígado, coração, pulmão e pâncreas.

Pela legislação vigente, quem autoriza a doação em caso de morte encefálica é a família, que precisava estar ciente da intenção da pessoa em doar. Com o novo documento, esse desejo fica registrado em uma base de dados acessada pelos profissionais da saúde, que terão em mãos a comprovação do desejo do falecido para apresentar à família no momento da morte.

A autorização eletrônica está disponível gratuitamente pelo site www.aedo.org.br. Por meio da Central Nacional de Doadores de Órgãos, ficará disponível para consulta via CPF da pessoa que morreu pelos responsáveis do Sistema Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde.

Para realizar a Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos, o interessado preenche um formulário diretamente no site, que é recepcionado pelo Cartório de Notas selecionado. Em seguida, o tabelião agenda uma sessão de videoconferência para identificar o interessado e coletar a sua manifestação de vontade. Por fim, o solicitante e o notário assinam digitalmente a AEDO, que fica disponível para consulta pelos responsáveis do Sistema Nacional de Transplantes. A plataforma está acessível 24 horas por dia, 7 dias por semana, de qualquer dispositivo com acesso à Internet.

Tópicos relacionados