Notícias

Engenheiro é preso em flagrante acusado de matar a companheira em Nova Iguaçu

Segundo as investigações, Jessé de Souza Cunha enterrou o corpo no quintal da casa onde eles moravam

Thuany Dossares 18/05/2022 • 23:53 - Atualizado em 19/05/2022 • 11:10
Jesse foi autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.
Jesse foi autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.
Divulgação/Polícia Civil

O engenheiro Jessé de Souza Cunha, de 44 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil, nesta quarta-feira (18), suspeito de matar a esposa e enterrar o corpo dela no quintal da casa onde eles moravam, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A professora Ana Júlia Mathias estava desaparecida desde segunda (16). 

O caso foi registrado inicialmente na Delegacia da Posse (58ª DP) como desaparecimento, pelo próprio suspeito, junto com o pai da vítima, na terça-feira (17). Ana Julia saiu da Escola Municipal José Pacífico, na Estrada de Santa Rita, onde trabalhava, na segunda (16), e, como de costume, entrou em um ônibus da linha Corumbá para voltar para casa.

Na delegacia, o marido de Ana Julia chegou a dizer que ela não tinha voltado para casa e acreditava que, naquela noite, ela tinha ido dormir na casa da avó ou de uma amiga, e que se assustou quando acordou na manhã de terça-feira e viu que a esposa ainda não tinha chegado.

No entanto, segundo o delegado Willians Batista, responsável pelo caso, as investigações apontaram que Ana Júlia chegou na casa do casal e que Jesse seria o responsável pelo crime.

“Questionei ele sobre toda rotina do casal e dele também, principalmente na segundas-feiras. Tivemos acesso ao cartão que ela passava no ônibus e vimos que realmente ela saiu da escola e foi para casa. O rastreamento do telefone dela também mostrou que ela entrou em casa no horário compatível que o Jesse também estava em casa, que era o que ele negava, porque dizia que não tinha estado com ela no dia do desaparecimento”, explicou Batista.

Enquanto o suspeito prestava esclarecimentos sobre o suposto desaparecimento da professora, na tarde de quarta-feira, o pai dela, Milton Nunes, recebeu uma ligação de parentes informado que o corpo da filha poderia estar enterrado num cômodo da casa do casal que estava passando por obras.

A equipe policial, então, foi até o local e encontrou o corpo de Ana Júlia. Jesse foi autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver. Segundo Batista, o engenheiro nega o crime.

“Ele se mantém negando, não confessa a prática delitiva, e agora a gente segue para concluir as investigações com imagens para entender toda a dinâmica dela naquele dia, bem como esclarecer qual foi a motivação desse crime”, explicou.

O delegado destacou também que a postura do suspeito chamou atenção dos policiais. Ele conta que após o registro, ele chegou a demonstrar apoio aos familiares dela nas buscas pela professora.

“Depois do registro ele ficou o tempo inteiro fingindo que estava dando apoio à família. Chegou a distribuir cartazes, ido a todos os lugares em que ela poderia ter passado, falou com amigos e parentes dela”, revelou Willians Batista.

Jessé também chegou a falar com a Bandnews FM sobre o desaparecimento da esposa.

Na tentativa de encontrar a filha, Milton Nunes chegou a ir na comunidade Buraco do Boi, em Nova Iguaçu, e depois no Arco Metropolitano, próximo à Vila de Cava, na mesma cidade, na manhã de terça-feira.