Esportes

Dois dos 20 clubes da Série A não se posicionaram no Dia do Orgulho LGBTQIA, diz levantamento

Pesquisa do Observatório da Discriminação Racial no Futebol revelou que mobilização foi menor nas séries de acesso. Vasco se destacou

Da Redação 29/06/2021 • 13:27 - Atualizado em 29/06/2021 • 13:29
Cano, do Vasco, ergue bandeira com arco-íris após marcar contra o Brusque
Cano, do Vasco, ergue bandeira com arco-íris após marcar contra o Brusque
Rafael Ribeiro/Vasco

Apenas dois dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro não se posicionaram no Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, comemorado na última segunda-feira, 28, segundo levantamento feito pelo Observatório da Discriminação Racial no Futebol.

Ceará e Athletico-PR foram os únicos clubes da elite do futebol nacional que não fizeram nenhum tipo de pronunciamento em favor da causa LGBTQIA+. Já na Série B, cinco foram os clubes que não se posicionaram: Coritiba, Goiás, Guarani, Londrina e Vila Nova.

Dentre os clubes que se posicionaram, o Vasco foi o que mais se destacou em suas ações. O clube divulgou um manifesto contra a homofobia, em que destacou que “o esporte é um reflexo da sociedade que o rodeia e, portanto, reproduz seus estereótipos e práticas, seus valores e preconceitos”.

Além do manifesto, o clube fez um mosaico em São Januário com a palavra “respeito” e jogou a partida contra o Brusque, pela sétima rodada da Série B, com uma camisa com a tradicional faixa vertical nas cores do arco íris.

Apesar das manifestações contra a homofobia feitas pelo Vasco, o zagueiro Leandro Castán, que defende a equipe de São Januário desde 2018, publicou em sua conta no instagram uma passagem bíblica em que destacava "sejam férteis". O teor da mensagem recebeu críticas por parte dos torcedores.

No jogo, o atacante German Cano marcou um gol e comemorou erguendo a bandeirinha de escanteio nas cores do arco-íris. A imagem viralizou nas redes sociais.

O Bahia, engajado em causas sociais, anunciou a venda de camisas da Torcida LGBTricolor em sua loja oficial e com toda a renda revertida a projeto de combate ao preconceito.

Levantamento completo do Observatório da Discriminação Racial no Futebol com clubes das Série A, B, C e D do futebol nacional: