Esportes

Entenda acusação de injúria racial de Edenílson contra Rafael Ramos

Jogador do Internacional acusa lateral português do Corinthians de tê-lo chamado de macaco

Rodrigo Lima 15/05/2022 • 10:22 - Atualizado em 15/05/2022 • 12:20

O empate em 2 a 2 entre Internacional e Corinthians, realizado no Beira Rio, no sábado (14), tinha tudo para ser lembrado como um dos bons jogos do Campeonato Brasileiro, mas ficou marcado pela acusação de injúria racial de Edenílson contra Rafael Ramos.

Próximo do minuto trinta do segundo tempo, após disputa pela bola na lateral, Edenílson foi até o árbitro e disse ter sido chamado de macaco pelo lateral do Corinthians.

O árbitro Bráulio da Silva Machado paralisou a partida e conversou com os jogadores para entender o que aconteceu. Mas após cinco minutos de paralisação, a partida foi retomada.

Após a partida, Rafael Ramos foi levado pelo diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, até o vestiário do Internacional, para conversar com Edenílson. Segundo o diretor corintiano, o lateral português se desculpou com Edenílson, mas alegou não ter feito a ofensa racista.

O atleta do Internacional prestou queixa para agentes da Polícia Civil no próprio estádio Beira Rio e manteve a acusação de injúria racial.

Com isso, o lateral Rafael Ramos foi preso em flagrante pela Polícia Civil e foi solto após o pagamento de fiança de R$10 mil e vai responder o processo em liberdade.

O que diz Edenílson:

Ainda durante a noite de sábado (14), Edenílson se pronunciou em suas redes sociais e disse que "sabe o que ouviu".

"Eu sei o que eu ouvi. Realmente não reagi da forma como deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo.

Me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol (quem me conhece sabe): ser xingado pelo tom da minha pele.

Minha reação foi a de não paralisar a partida pois o jogo estava bom e,. Ao mesmo tempo, eu não queria que tomasse a proporção que tomou. Justamente por nunca ter passado por isso.

Eu procurei o atleta (Rafael Ramos) para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal, todos erramos e temos o direito de admitir, no meu modo de ver as coisas, mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado".

O que diz Rafael Ramos:

Após ser o pagamento da fiança e ser liberado, Rafael Ramos falou com a imprensa, ainda no Beira Rio, e disse que Edenílson havia entendido as palavras erradas"

"Estou aqui com a consciência e cabeça limpa para explicar o que aconteceu. Foi puramente um mal entendido entre mim e o Edenílson. No fim do jogo estive com ele e tivemos uma conversa tranquila, onde expliquei o que tinha acontecido. Ele explicou o que realmente entendeu, que não é verdade. Eu expliquei a verdade daquilo que eu tinha dito. Foi isso que aconteceu. Tivemos uma conversa tranquila. Ele mostrou um receio de se passar por mentiroso, e aí eu falei que ele não é um mentiroso, apenas entendeu as palavras erradas. Apertamos a mão e desejei ele boa sorte"

O que diz a súmula do árbitro:

Na súmula da partida, o árbitro Bráulio da Silva Machado relatou a denúncia feita por Edenílson e o que ouviu dos atletas dentro de campo.

"Aos 31 minutos do segundo tempo, no momento em que a partida estava paralisada, fui informado pelo jogador número 8 da equipe S. C. Internacional, Sr. Edenílson Andrade dos Santos, que seu adversário, número 21, Sr. Rafael Antônio Figueiredo Ramos, havia proferido as seguintes palavras para ele: foda-se macaco.

Neste momento, paraliso a partida e chamo os jogadores envolvidos para relatarem o que havia acontecido, sendo que o Sr. Edenílson Andrade dos Santos confirmou as palavras anteriormente citadas e o jogador Sr. Rafael Antônio Figueiredo Ramos afirma que houve um mal entendido devido ao seu sotaque (português) e diz ter proferido as seguintes palavras: foda-se, caralho.

Devido a distância dos atletas e o barulho da torcida, nem eu e nem outro integrante da equipe de arbitragem conseguiu ouvir ou perceber qualquer das palavras acima citadas".