Jogo Aberto

Carille diz como mudou astral no Santos e convenceu medalhões a jogar a Série B

Treinador do Santos conversou de forma exclusiva com o Jogo Aberto nesta quarta-feira; assista

Da redação

Fábio Carille deu uma entrevista exclusiva ao Jogo Aberto desta quarta-feira (28) e falou como mudou o ambiente do Santos, rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez.

O treinador lidera a reformulação do Peixe, que atualmente briga pela melhor campanha da primeira fase do Paulistão.

“Estou indo para o meu oitavo ano como técnico, e meu trabalho mais difícil até agora foi no Santos de 2021. Eu chego para fazer o segundo turno, time na zona do rebaixamento, não podendo contratar. Neste momento [2024], sabendo como o Marcelo já trabalhou no clube, todo mundo elogiando muito o presidente, trazer minha forma de ser, de lidar com as pessoas, trazer um ambiente mais leve foi fundamental para 'limpar', para deixar o ambiente mais leve, um clima mais gostoso. Assim está desde o dia 6 de janeiro, quando a gente começou a treinar”, explicou Carille.

Em seguida, o treinador falou que foi fácil convencer alguns jogadores veteranos a disputar a Série B em 2024 por causa do tamanho da camisa do Santos.

“Isso daqui [Santos] é muito forte, muito pesado. Conversei com a maioria deles, vamos dizer ai 80% deles. Você está no CT e aparece o Mengálvio, o Edu, o Clodoaldo, umas coisas que assustam. É uma camisa histórica, é conhecida no mundo inteiro. É muito forte. Claro que teve o esforço do presidente na parte financeira, mas sei que tiveram jogadores que tinham propostas da Série A, mas que vieram para esse clube”, revelou.

Outras respostas de Carille

Ausência de Giuliano

O Giuliano tem um problema na panturrilha, está em fase final de tratamento. E no mesmo período a gente perdeu também o Cazares, mas que está voltando, tem possibilidade de ir para o jogo no domingo. É achar alternativas, jogar com dois atacantes, com o Willian atuando perto deles ali. Eu não consigo ver Morelos e Julio [Furch] juntos, mas consigo ver Morelos ou Julio junto com o Willian. Sei que o Guilherme também pode jogar por dentro.

Gratidão ao Corinthians

Minha gratidão pelo Corinthians vai ser eterna, nunca vou esconder isso. Foram 10 anos de clube, participando de 12 títulos, oito como auxiliar e quatro como técnico. A gratidão sempre vai ser enorme, nunca vou esconder e deixar de falar.

Novas contratações

Estou bastante satisfeito, os números desde início mostram isso. É um grupo novo, que necessite de mais tempo de trabalho. Em relação a Palmeiras e São Paulo, que têm um conjunto e fica mais fácil, a gente necessita de trabalho. Estou muito satisfeito, mas a gente está de olho no mercado, ainda mais que podemos perder alguns jogadores. A gente está vendo o quanto vem de buscas pelo Joaquim, então seguimos atentos ao mercado.

Novo ‘transfer ban’ com caso Cueva

Hoje o nosso treino vai ser à tarde, eu cheguei no clube agora e o Gallo estava numa reunião e não me passou nada ainda. Eu vi, li umas coisas, mas do clube, ainda não ouvi nada sobre isso.

Importância do Paulistão

Esse campeonato, para nós e para todas as equipes que vão disputar a Série B, tem algo muito interessante. Sete equipes que vão disputar a Série B estão no Paulistão, então já vai mostrando o que vai ser, sendo que Mirassol e Novorizontino não subiram por um ponto. É um campeonato forte, estamos entendendo o que vamos encontrar na temporada.

Cazares

A respeito do Cazares, eu sempre quis trabalhar com esse jogador. Tentei no Corinthians, na Arábia e estou tento a oportunidade agora. É uma outra pessoa, sabe que errou bastante, que sabe que poderia estar numa situação melhor. Ele está concentrado, trabalhando bastante, está focado.

Willian e polêmica com Scarpa e criptomoedas

Para ser bem sincero, a gente não traz esse assunto para o dia a dia. Foi algo que aconteceu tem um tempo, eu trabalhei com ele dois anos no Corinthians, então conheço o atleta, o perfil, a personalidade. Está trabalhando muito e está ajudando bastante os mais jovens. Esses jogadores mais experientes estão sendo um suporte muito legal para esses mais jovens. Tem sido muito boa essa mescla.

Campanha ‘acima da expectativa’ no Paulistão

A expectativa está acima, porque você contrata 14 jogadores, sobe jogadores da base e requer um tempo para fazer todo esse elenco pensar do mesmo jeito. A gente fez um jogo-treino na pré-temporada e acaba fazendo testes já no campeonato. O bom é que as vitórias te dão mais liberdade para fazer testes, algumas mudanças sem mexer na estrutura. Então é acima da expectativa sim, estou muito feliz com o que está acontecendo até agora.

Jogo no Morumbis com 50 mil torcedores

Foi bonito demais, emocionante. Os últimos anos do Santos não foram nada legal. Vocês sabem como é trabalhar no Japão, estava numa tranquilidade muito grande de lá. Mas quando começou a possiblidade de voltar para cá, ouvi elogios ao presidente e a ideia foi amadurecendo. Foi bonito de ver, o movimento do interior que aconteceu, que eu sei. Foi muito legal.

Violência contra o Fortaleza

Eu acho que o maior problema está nas nossas leis. Fazem o que quer, como quer, e nada muda. Aconteceu com o Santos aqui contra o Fortaleza [ano passado]. Não tem mais espaço para isso. Conseguiram dar um jeito nos Hooligans na Inglaterra, como é que não dá para fazer aqui? Dá sim, é só querer fazer a coisa direito. Não tem mais espaço para isso.

Tópicos relacionados